Follow by Email

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Solange Frazão adere à Campanha Diga Não à Leishmaniose



Considerada referência em saúde e beleza no Brasil, a apresentadora e educadora física, Solange Frazão, vestiu a camisa da Campanha Diga Não à Leishmaniose e posou para as lentes do renomado fotógrafo internacional de pets, Lionel Falcon, com o Grande Otelo, cão símbolo da campanha.


Foto: Lionel Falcon
Solange Frazão e o cão Grande Otelo, 
símbolo da Campanha Diga Não à Leishmaniose


“Ter saúde, qualidade de vida e bem-estar é tão importante para os seres humanos quanto para os animais. Para isso, é preciso se prevenir”, ressalta Frazão.

A coordenadora do projeto e ex-assessora de Clodovil Hernandes, Marli Pó, explica que o objetivo da campanha é conscientizar a população sobre a leishmaniose visceral, grave doença de saúde pública por se tratar de uma zoonose de alta letalidade. A doença é transmitida tanto aos cães quanto aos humanos por meio da picada de um inseto conhecido popularmente como “mosquito palha”.

Dados sobre a leishmaniose visceral:
- Doença fatal para os cães.
- Nos humanos, se não tratada, pode levar à morte em até 90 % dos casos.
- Cerca de 3.800 novos casos são diagnosticados todos os anos no Brasil.
- A doença é transmitida pela fêmea do inseto. Ao picar cães infectados ela se infecta e, posteriormente, pica os humanos, transmitindo a doença.

Principais sintomas nos cães:
- Apatia;
- Lesões de pele;
- Queda de pelos, inicialmente ao redor dos olhos e nas orelhas;
- Emagrecimento;
- Crescimento anormal das unhas.

Os cães podem ficar infectados por vários anos sem apresentar sintomas clínicos. Estes cães são fontes de infecção para o inseto transmissor, e, portanto, um risco à saúde de todos. A única forma de detectar a infecção nestes animais é por meio de exames de laboratório específicos. O Programa de Controle da Leishmaniose Visceral do Ministério da Saúde recolhe e realiza a eutanásia dos cães com leishmaniose visceral, mesmo os que não apresentam sintomas.

Ajude a combater a leishmaniose
- Não deixe seu cão solto nas ruas;
- Mantenha-o sempre com a coleira à base de deltametrina;
- Mantenha o seu quintal limpo para evitar procriação do mosquito;
- Consulte um Médico Veterinário regularmente;
- Saiba mais sobre leishmaniose no site www.diganaoaleishmaniose.com.br