Follow by Email

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Faça Novo o Teu Ano ( teu dia, teu momento)

    Apesar de estarmos à beira do Carnaval o texto continua perfeitamente adequado. Penso mesmo que deveria ser recomendado para releitura diária.




Texto de Frei Beto 


FAÇA NOVO O TEU ANO 

Neste ano novo, se faça novo, reduza a sua ansiedade, regue de ternura seus sentimentos mais profundos, imprima a seus passos o ritmo das tartarugas e a leveza das garças. 

Não se mire nos outros; a inveja é um cancro que mina a autoestima, fomenta a revolta e abre, no centro do coração, o buraco no qual se precipita o próprio invejoso. 

Espelhe-se em si mesmo, assuma seus talentos, acredite em sua criatividade, abrace com amor sua singularidade. Evite, porém, o olhar narciso. Seja solidário: ao estender aos outros as suas mãos, estará oxigenando a própria vida. Não seja refém de seu egoísmo. 

Cuide do que fala. Não professe difamações e injúrias. O ódio destrói a quem odeia, não o odiado. Troque a maledicência pela benevolência. Comprometa-se a expressar alguns elogios por dia. Sua saúde espiritual agradecerá. 

Não desperdice sua existência hipnotizado pela TV ou navegando aleatoriamente pela internet, naufragado no turbilhão de imagens e informações que não consegue sintetizar. Não deixe que a sedução da mídia anule sua capacidade de discernir e o transforme em consumista compulsivo. A publicidade sugere felicidade e, no entanto, nada oferece senão prazeres momentâneos. 

Centre sua vida em bens infinitos, nunca nos finitos. Leia muito, reflita, ouse buscar o silêncio neste mundo ruidoso. Lá encontrará a si mesmo e, com certeza, um Outro que vive em você e que quase nunca é escutado. 

Cuide da saúde, mas sem a obsessão dos anoréticos e a compulsão dos que devoram alimentos com os olhos. Caminhe, pratique exercícios físicos, sem descuidar de aceitar as suas rugas e não temer as marcas do tempo em seu corpo. Frequente também uma academia de malhar o espírito. E passe nele os cremes revitalizadores da generosidade e da compaixão. 

Não dê importância ao que é fugaz, nem confunda o urgente com o prioritário. Não se deixe guiar pelos modismos. Faça como Sócrates, observe quantas coisas são oferecidas nas lojas que você não precisa para ser feliz. Jamais deixe passar um dia sem um momento de oração. Se você não tem fé, mergulhe em sua vida interior, ainda que por apenas cinco minutos. 

Arranque de sua mente todos os preconceitos e, de suas atitudes, todas as discriminações. Seja tolerante, coloque-se no lugar do outro. Todo ser humano é o centro do Universo e morada viva de Deus. Antes, indague a si mesmo por que, às vezes, provoca nos outros antipatia, rejeição, desgosto. Revista-se de alegria e descontração. A vida é breve e, de definitivo, só conhece a morte. 

Faça algo para preservar o meio ambiente, despoluir o ar e a água, reduzir o aquecimento global. Não utilize material que não seja biodegradável. Trate a natureza como aquilo que ela é de fato: a sua mãe. Dela você veio e a ela voltará. Hoje, vivemos do beijo que ela que nos dá continuamente na boca: ela nutre de oxigênio e alimentos a cada um de nós. 

Guarde um espaço em seu dia a dia para conectar-se com o Transcendente. Deixe que Deus acampe em sua subjetividade. Aprenda a fechar os olhos para ver melhor. 

Feliz 2011!

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Por que Adotar um Animal Adulto?

por Nina Hinerich



Cão adulto aguardando adoção em Teresópolis


A gratidão dos animais adultos, quando adotados por pessoas que lhes dêem amor, é muito grande, além disso, os animais adultos já têm maturidade e tentam compreender o ambiente ao redor com o intuito de agradar àqueles que o acolheram.

Quando um animal adulto é acolhido ele pode revelar faces de sua personalidade que até então mantinha oculta. Como uma alegria antes nunca demonstrada por ele.

Contrariando o pensamento de muitas pessoas, animais adultos se adaptam a novos lares tão bem quanto os filhotes. E ainda tornam-se companheiros, fieis, carinhosos, amigos e gratos por receberem, abrigo, alimentação, atenção e amor.

Quando você adota um animal adulto já sabe o seu tamanho, temperamento, personalidade. Ao contrário do filhote que é um serzinho pequenino, travesso, sempre pulando, correndo, fazendo arte, escalando cortinas...

Porém ele vai crescer bem mais depressa do que você supunha, então ele começará gradativamente a se tornar diferente daquilo que você pensava (sim, porque acabamos imaginando que uma vez filhote sempre será filhote, mas ele vai crescer, se tornar adulto, mudar alguns hábitos...).

É uma grande ilusão achar que adotando um filhote você o “moldará” à sua maneira, não: eles formarão sua própria personalidade e você pode se decepcionar quando perceber que aquela bolinha peluda que escalava suas pernas, pulava no seu colo agora só aceita colo quando ele sente vontade.

A adaptação de um filhote e de um animal adulto é praticamente igual.

No primeiro dia ele precisará saber onde vai fazer suas necessidades fisiológicas, onde vai comer, tomar água e dormir – isso ele aprende de imediato, cabe aqui ressaltar que a comida, água e cama, não devem ficar próximas à sua caixa de areia.

Nos primeiros dias ele (tanto o filhote quanto o animal adulto) estranhará o novo ambiente, poderá mostrar-se receoso, tímido, inseguro, ansioso, miando ou latindo muito. Você e sua família deverão ser pacientes e tratarem o recém-chegado com muito amor e carinho.

Se houver crianças no novo lar do animal elas deverão ser orientadas para diminuírem o ritmo das correrias e gritarias em suas brincadeiras, pois isso certamente assustará muito o animal que ainda não conhece a rotina da casa, pois será aos poucos que ele se acostumará a sua nova morada.



Nina Hinerich

Portal-voz Animal
http://www.greepet.vet.br/adulto.php

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Teresópolis – E agora? 45 dias de trabalho




Já são 45 longos dias de trabalho no resgate e cuidados com os  Animais da Tragédia de Teresópolis.

Estamos atuando no Galpão do Meudom desde o dia 15 de janeiro.




A situação no Galpão está muito difícil. Mesmo pagando só conseguiram contratar quatro pessoas para fazer a limpeza dos animais: duas para o turno da manhã e duas para o turno da tarde.

Com o passar do tempo, como já era esperado, os voluntários vão se afastando, as pessoas retomam suas vidas, mas os animais continuam lá.



Os resgates também escassearam, não por falta de resgatistas, mas por falta de local para receber mais animais.

Os cães e gatos que foram arrastados e que não pereceram estão voltando em busca de suas casas e de seus donos. E não encontram nem um nem outro. Vagueiam pelos locais destruídos, sujos e famintos, feridos e muitos com bicheiras pelo corpo.

E não podemos socorrê-los!

O que fazer?

Os voluntários deixam ração e medicamentos, orientam as pessoas como cuidar, mas eles precisam de resgate!

Onde colocar?

O galpão usado para os casos mais graves e para o                   pós-operatório terá que ser devolvido no dia 28, daqui a uma semana. Onde colocar mais 50 animais, se no Meudom não cabe mais nem um?

Ninguém na Região Serrana resgatou tantos animais. Foram mais de 750, sem levar em conta gatos, aves, filhotes de cão e sem contabilizar dezenas de animais que os Protetores que subiram para ajudar recolheram diretamente em suas casas e abrigos.

Hoje restam em torno de 250 cães no Galpão do Meudom e em torno de 50 cães no Galpão das Pimenteiras.

Esses animais precisam ser limpos, alimentados e cuidados diariamente. Os passeios já não acontecem pois ou limpamos ou passeamos. Não há tempo para as duas tarefas.

A quantidade de animais doentes aumentou com os últimos resgates, São apenas três veterinárias e uma estagiária, que atuam de forma voluntária. Uma no Galpão das Pimenteiras e duas no Galpão do Meudom, em dias alternados. É muito pouco.

Mais uma vez apelamos a você: 

nos ajude a ajudar esses animais!!





Contatos: Bebete – tel: (21) 8790-7772

Adeus Apolo

Nosso muito querido Apolo, mais conhecido como "Malão" nos deixou domingo...

assim...sem se despedir...sem nenhum sinal...

simplesmente partiu.

Ele já me deixava fazer carinho, levar ele para passear, comia com voracidade meu sanduiche de pão com queijo....

Aquele Galpão nunca mais será o mesmo.


Esta era a "casa" do Apolo.




Dia do Resgate: 03.02.2011




Dia 19.02.2011





domingo, 6 de fevereiro de 2011

De volta

Oi, Pessoal


Estamos retornando, aos poucos, à nossa rotina.


Precisamos ajudar os animais de Terê mas também temos responsabilidade com os nossos resgatados que ficaram "abandonados" enquanto estivemos totalmente focadas na Região Serrana.


Vou tentar repassar um pouco da luta diária que é atuar no Galpão dos Animais Resgatados.


Hoje vou falar do Pastor-Rott-Lata que chegou na quinta-feira.


Era um resgate que deveria ter acontecido no domingo passado mas Rosely não teve forças para trazer o grandão. 


Estava com bicheira no ânus e na boca, infecção urinária, desidratação, uma fome absurda. Pedaços de barro seco estavam agarrados em sua pelagem.


Não andava e para dificultar o meninão é bravo!


Flávia e Rafael conseguiram fazer o resgate.


Foi medicado, alimentado, banhado e passou-se sonda urinária.


Ontem o danadinho já levantou para fazer xixi, saiu para um banhozinho de sol e está evoluindo bem. 






Vamos aguardar como serão os próximos dias.