Follow by Email

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

ERRATA - Odeio Rodeio



Pedimos sinceras desculpas ao pessoal da empresa PUTZ7, cujo link foi erroneamente informado como sendo o da REDECARD em nossa campanha
ODEIO RODEIO

Já fizemos as necessárias correções na matéria original.




A PUTZ7 é uma empresa voltada ao tema “sustentabilidade” e mantém uma ONG com foco em projetos socioambientais e socioculturais e reconhecida como entidade ambientalista.








Cachorra morre e menina de quatro anos escreve para Deus







Não se sabe quem respondeu, mas existe uma belíssima alma trabalhando no arquivo morto dos correios americanos.Tenho certeza de que não foi dos correios daqui de Crossville.

Abbey, nossa cadelinha de 14 anos morreu no mês passado. No dia seguinte a seu falecimento, minha filha de 4 anos, Meredith, chorava e comentava sobre a saudade que sentia de Abbey. Ela perguntou se poderia escrever uma carta para Deus para que, assim que Abbey chegasse ao céu, Deus a reconhecesse. Eu concordei, e ela ditou as seguintes palavras:


Querido Deus.

O Senhor poderia tomar conta da minha cadela? Ela morreu ontem e está ai no céu com o Senhor. Estou com muitas saudades dela. Fico feliz porque o Senhor deixou ela comigo mesmo que ela tenha ficado doente. Espero que o Senhor brinque com ela.Ela gosta de nadar e de jogar bola. Estou mandando uma foto dela para que assim que a veja, o Senhor saberá logo que é a minha cadela. 

Eu sinto muita saudade dela.

Meredith


Pusemos num envelope a carta com uma foto de Abbey com Meredith e a endereçamos: 
Deus - Endereço: Céu. 

Também pusemos nosso endereço como remetente. Então Meredith colou um monte de selos na frente do envelope, pois ela disse que precisaria de muitos selos para a carta chegar até o céu. Naquela tarde ela colocou a carta numa caixa do correio. Dias depois ela perguntou se Deus já tinha recebido a carta. Respondi que achava que sim.

Ontem havia um pacote embalado num papel dourado na varanda de nossa casa, endereçado a Meredith numa caligrafia desconhecida. Dentro havia um livro escrito por Mr. Rogers, intitulado "Quando um animal de estimação morre". Colada na capa interna do livro estava a carta de Meredith. Na outra página, estava a foto das duas com o seguinte bilhete:

Querida Meredith,
A Abbey chegou bem ao céu. A foto ajudou muito e eu a reconheci imediatamente.

Abbey não está mais doente. O espírito dela está aqui comigo assim como está no seu coração. Ela adorou ter sido seu animal de estimação. Como não precisamos de nossos corpos no céu, não tenho bolso para guardar a sua foto. Assim, a estou devolvendo dentro do livro para você guardar como uma lembrança da Abbey. Obrigado por sua linda carta e agradeça a sua mãe por tê-la ajudado a escrevê-la e a enviá-la pra mim. Que mãe maravilhosa você tem!! Eu a escolhi especialmente pra você. Eu envio minhas bençãos todos os dias e lembro que amo muito vocês. A propósito, sou fácil de encontrar: estou em todos os lugares onde exista amor.

Com amor

Deus

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Delegacias especializadas em Proteção Animal, o futuro!


Resgate do Pastor Alemão Brad, vítima de espancamento - Ilustração/Divulgação


Há alguns meses, chegou a ser noticiado o flagrante feito pela Delegacia de Proteção Animal de Campinas em uma empresa que “em tese” oferecia serviços de adestramento e locação de animais na cidade. Após ouvirem o que pareciam gritos, policiais investigadores encontraram vários animais no local e um deles sendo espancado pelo adestrador responsável. Milagrosamente foram resgatados mais de 20 animais em condições que podemos classificar como de “maus tratos” no mínimo. Além de covarde, é simplesmente inaceitável que um profissional que cobra para ter um animal de outra pessoa a sua disposição para “ensinar”, use de violência para chegar a tal objetivo.

Não quero aqui ficar analisando e comentando os atos de estupidez promovidos contra esses animais. Sabemos que a realidade nas ruas e pasmem, em muitos lares, também é parecida.

Quero chamar a atenção para uma outra realidade que sinceramente espero estar crescendo e aparecendo em mais cidades no Brasil.

Me refiro as Delegacias especializadas em Proteção Animal. Um passo muito importante para que em um futuro próximo os incidentes envolvendo animais sejam tratados em caráter judicial.

Pois foi exatamente essa Delegacia que não só flagrou esses animais sendo espancados, como também recolheu e iniciou o processo de adoção desses animais. Os que necessitavam atendimento veterinário foram prontamente encaminhados para Clínicas parceiras (que em outra oportunidade comentarei aqui) e hoje estão todos recuperados.

O Instituto “Cãochorro & outros bichos” orgulhosamente participou de mais uma etapa importante para a “nova” vida que esses animais estão começando a merecidamente desfrutar. Oficialmente começamos a identificar esses animais com microchips que foram doados pela empresa Show Art de Campinas, e a cadastrá-los no banco de dados Abrachip. Queremos agradecer publicamente a Show Art pela doação dos microchips que serão usados pela Delegacia.

Em um evento bastante descontraído, fomos até a Delegacia no Taquaral em Campinas para encontrar o Brad, um pastor alemão que foi o primeiro a ser microchipado. Muitos reconhecerão pela foto que esse pastor foi exatamente aquele que estava sendo atacado pelo adestrador na ocasião do flagrante. Brad na verdade é o nome que recebeu após ser adotado por sua nova proprietária. 

Meu encontro com Brad, recuperado e feliz - Ilustração/Divulgação

Encontramos também os doutores Roberto e Renata, que já são velhos parceiros nas ocorrências envolvendo animais mau tratados. Eles foram apresentados e prontamente cadastrados no Abrachip para que possam utilizar o banco de dados no gerenciamento e consulta aos animais e seus proprietários.

A intenção é microchipar os mais de 20 animais recolhidos a medida que forem adotados. O Brad representou brilhantemente seus companheiros e como vemos pelas fotos, mostrou-se simplesmente “outro” quando comparado ao animal assustado e compreensivelmente arredio que foi resgatado. Não só comportou-se de forma educada como também mostrou o que todos nós sabemos, que tem muito amor para oferecer a quem mereça sua amizade.

Estaremos de olho e noticiando as ações e conquistas da Delegacia e seus colaboradores!

Parabéns aos envolvidos:
Show Art, Drs. Roberto e Renata, Instituto “Cãochorro & outros bichos” e Delegacia de Proteção Animal de Campinas e todos seus funcionários.






Um cachorrinho valente!

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Pets terapeutas do Pêlo Próximo marcam presença no Ressoar Solidário 2011

Aconteceu ontem, mas vale o registro.




No próximo domingo (28), o Projeto Pêlo Próximo se une à Record Rio para participar do Projeto Ressoar Solidário 2011, evento promovido pelo Instituto Ressoar que tem como objetivo estimular o voluntariado através de ações direcionadas para o benefício das pessoas carentes.

Além da creche, o Projeto visitará os idosos da Casa Geriátrica São Mateus, em Guadalupe. Nessa instituição, os voluntários realizarão a Atividade Assistida por Animais (AAA), realizando os exercícios com bolinha, arco e boliche. Além disso, os idosos terão a oportunidades de interagir com os animais do Pêlo Próximo.

O Pêlo Próximo realizará duas ações durante o evento. A primeira ação será com as crianças da creche Vila Triagem, localizada no bairro Triagem, Zona Norte do Rio de Janeiro, onde serão levados os cães terapeutas para uma interação com as crianças. O grupo apresentará ainda uma montagem teatral sobre posse responsável e respeito aos animais.

“- Estamos muito felizes com esse convite da Rede Record. Para nós, é uma grande satisfação participar desse grande evento em prol das pessoas carentes. Além disso, é uma também uma oportunidade de mostrar as pessoas carentes da comunidade, os benefícios que os animais promovem, levando também a mensagem sobre posse responsável e a necessidade de cuidar bem do animal. Nosso grupo também está se mobilizando para levar alimentos não perecíveis para essas instituições” – finaliza Roberta Araújo, coordenadora geral do Pêlo Próximo.


Fonte: http://blogs.jovempan.uol.com.br/petrede


Solange Frazão adere à Campanha Diga Não à Leishmaniose



Considerada referência em saúde e beleza no Brasil, a apresentadora e educadora física, Solange Frazão, vestiu a camisa da Campanha Diga Não à Leishmaniose e posou para as lentes do renomado fotógrafo internacional de pets, Lionel Falcon, com o Grande Otelo, cão símbolo da campanha.


Foto: Lionel Falcon
Solange Frazão e o cão Grande Otelo, 
símbolo da Campanha Diga Não à Leishmaniose


“Ter saúde, qualidade de vida e bem-estar é tão importante para os seres humanos quanto para os animais. Para isso, é preciso se prevenir”, ressalta Frazão.

A coordenadora do projeto e ex-assessora de Clodovil Hernandes, Marli Pó, explica que o objetivo da campanha é conscientizar a população sobre a leishmaniose visceral, grave doença de saúde pública por se tratar de uma zoonose de alta letalidade. A doença é transmitida tanto aos cães quanto aos humanos por meio da picada de um inseto conhecido popularmente como “mosquito palha”.

Dados sobre a leishmaniose visceral:
- Doença fatal para os cães.
- Nos humanos, se não tratada, pode levar à morte em até 90 % dos casos.
- Cerca de 3.800 novos casos são diagnosticados todos os anos no Brasil.
- A doença é transmitida pela fêmea do inseto. Ao picar cães infectados ela se infecta e, posteriormente, pica os humanos, transmitindo a doença.

Principais sintomas nos cães:
- Apatia;
- Lesões de pele;
- Queda de pelos, inicialmente ao redor dos olhos e nas orelhas;
- Emagrecimento;
- Crescimento anormal das unhas.

Os cães podem ficar infectados por vários anos sem apresentar sintomas clínicos. Estes cães são fontes de infecção para o inseto transmissor, e, portanto, um risco à saúde de todos. A única forma de detectar a infecção nestes animais é por meio de exames de laboratório específicos. O Programa de Controle da Leishmaniose Visceral do Ministério da Saúde recolhe e realiza a eutanásia dos cães com leishmaniose visceral, mesmo os que não apresentam sintomas.

Ajude a combater a leishmaniose
- Não deixe seu cão solto nas ruas;
- Mantenha-o sempre com a coleira à base de deltametrina;
- Mantenha o seu quintal limpo para evitar procriação do mosquito;
- Consulte um Médico Veterinário regularmente;
- Saiba mais sobre leishmaniose no site www.diganaoaleishmaniose.com.br



domingo, 28 de agosto de 2011

Gato baiano procurando rato

Gente, é baiano mesmo, kkkkkkk






Quando ví esse título fiquei curioso, me perguntei o que poderia ser, já que os gatos só fazem gatices, mas o fato é, muito além das gatices está a imaginação do povo em filmar e dar nome aos vídeos… rsrs



Fonte: http://blogs.jovempan.uol.com.br/petrede/

Cão-guia ainda é sonho distante





Auxiliar na mobilidade e garantir mais segurança e independência ao deficiente visual. Essas são as principais tarefas dos cães-guia, animais que dão vida ativa a quem nasceu cego ou perdeu a visão. O problema é que, no Brasil, esse ainda é um sonho distante. Entidades ligadas ao tema estimam que atualmente existam apenas 80 cães para 1,4 milhão de deficientes em todo o País.

Entre os principais motivos que impedem que mais pessoas tenham um desses animais é o preço. Para treinar um cão, é necessário desembolsar entre R$ 28 mil e R$ 30 mil, que são gastos com alimentação, exames médicos, vacinas e equipamentos, além dos salários e verbas para ajuda de custo dos treinadores. Em muitos casos, os interessados têm que viajar para outros estados ou países em busca de um cão preparado.

As entidades que formam os animais têm de se preocupar também com a escolha das matrizes - o casal reprodutor que dará origem aos filhotes. A coordenadora do Projeto Cão Guia da ADA (Associação Brasiliense de Ações Comunitárias), Maria Lúcia de Campos, explica que o par tem de ser saudável para que a cria apresente menos riscos de doenças hereditárias.

Um dos males que mais acomete os cães de médio e grande portes é a displasia ."Esta doença acomete as articulações, principalmente na região coxo-femural. Isso faz com que acabe a lubrificação e haja um desgaste ósseo, o que causa dor e atrapalha a mobilidade", conta a coordenadora. A doença é avaliada em graus que vão das letras A até E. Para que um cachorro seja utilizado como guia, deve ter até o grau C, no máximo. Para diagnosticar a doença, são feitos diversos diagnósticos por imagem desde o nascimento do animal.

Apesar do alto custo, a coordenadora se queixa da falta de assistência por parte do poder público. "Os governos só demonstram interesse naquilo que dê retorno político." Em São Paulo, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou em abril projeto para a construção de um centro de treinamento de cães-guia na USP (Universidade de São Paulo). O orçamento para a obra é de R$ 2,5 milhões e o prédio terá capacidade para até 92 cães. O prédio só deverá ficar pronto em 2013.

No Grande ABC, cuja população estimada de cegos é 17,5 mil pessoas, existem pelo menos dois cães-guia. Um dos deficientes que conseguiu um animal foi o consultor de informática Luiz Eduardo Porto de Oliveira, 43 anos, de São Caetano. Há três anos ele ganhou a companhia de Harry, um labrador preto treinado em Brasília.

Oliveira ficou cego aos 23 anos, quando foi acometido por uma retinoise pigmentar. Desde então, passou a utilizar a bengala como instrumento de auxílio para se locomover. A partir de 2001, iniciou a busca por um cão-guia. Em 2006, entrou na fila de espera do instituto brasiliense, sendo chamado apenas dois anos depois.

Atualmente, o consultor se sente mais seguro para caminhar, o que resulta em independência. "Quem tem o cão-guia, jamais quer voltar para a bengala. Eu faço tudo, tenho uma vida normal", conta. Oliveira ressalta que, desde que começou a contar com Harry, nunca mais caiu ou bateu a cabeça em orelhões, conhecidos vilões dos cegos. "Eles são treinados para desviar de obstáculos aéreos.

Reação ainda é de espanto e surpresa
"Nossa, é um cão-guia?" "Que bonitinho! Posso por a mão?" Essas são algumas das reações de quem vê um deficiente visual sendo guiado por um animal pelas ruas. A equipe do Diário andou por cerca de uma hora e meia pelo Centro de São Caetano acompanhada do consultor de informática Luiz Eduardo Porto de Oliveira, 43 anos, e de Harry, o labrador preto que orienta seus passos.

Por lei, os estabelecimentos públicos e privados são obrigados a permitir a entrada desse tipo de animal. Em nenhum dos locais visitados, como shopping, lanchonete e loja de roupas, Harry foi barrado. Mesmo assim, muitos demonstravam espanto ao ver pela primeira vez um cão-guia.

A aposentada Joaquina Ferreira, 72, queria brincar com o labrador. "Adoro animais, na minha casa eu tenho três. Isso é uma coisa abençoada." Ela contou que nunca havia se deparado com um cão-guia em outras ocasiões.

Apesar do temperamento manso e da boa aparência do cão, não é aconselhado fazer carinho no bicho enquanto ele guia alguém. "Isso acaba desconcentrando o cachorro e pondo em risco nossa segurança. As pessoas têm que entender que ele está a trabalho", alerta Oliveira. O consultor diz que nem sempre as orientações são atendidas. "Muitos acham que estamos sendo antipáticos."

Durante a semana, a reportagem também acompanhou os passos de Ema, uma filhote de labrador que está sendo treinada para ser guia. Quem acompanha o treinamento é a estudante Vânia Feitosa, 22, que não é deficiente visual. Mesmo ainda não sendo uma cadela formada, Ema também não foi impedida de entrar nos lugares por onde visitou, como lojas e praça de alimentação do Shopping Grand Plaza, em Santo André, e a estação de trem da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), de onde partiu para uma viagem de ida e volta até a Estação de Utinga. Dentro do estabelecimento, a dupla teve dificuldade para caminhar, devido ao grande número de curiosos que as paravam no meio do caminho.

A estudante conta, no entanto, que já teve dificuldades para passear com a cachorra. "No trólebus e no metrô, muitas vezes tentaram nos impedir de entrar. Mas foi só eu mostrar a lei para os funcionários que eles acabaram cedendo. Mesmo assim, foi meio a contragosto", relata.

Ema faz parte de um projeto do Sesi (Serviço Social da Indústria) para treinar novos animais. A ação é fruto de uma parceria com a Fundação Dorina Nowill e o instituto Meus Olhos Têm Quatro Patas. A coordenadora do projeto, Beatriz Canal, informa que o investimento aplicado para a capacitação de 32 cães é de R$ 1 milhão.

Treinamento demora cerca de dois anos
Para que um filhote esteja pronto para guiar uma pessoa, o tempo de treinamento é de aproximadamente dois anos. A capacitação é dividida em três etapas. Na primeira, o animal passa por um processo de socialização. Nesse período, convive com uma família de pessoas sem deficiência, que é incumbida de levar o cachorro para passear em locais de grande circulação para acostumar com o movimento. Esse processo encerra quando o bicho completa um ano.

Em seguida, o animal é levado novamente ao canil, onde passará pelo processo de treinamento. "A ideia do treinamento é mostrar para o cão que o dono é cego e precisa dele. É criar uma consciência. Não é um adestramento como nos cães da polícia, e sim uma educação", explica o economista Luiz Alberto Melchert Silva, presidente do Instituto Meus Olhos Têm Quatro Patas. Esta fase dura entre seis e oito meses.

Na última etapa do treinamento, o cão inicia a convivência com o cego. Nessa etapa, que leva aproximadamente três meses, o deficiente aprende a interpretar os sinais emitidos pelo animal, como alerta de obstáculos, por exemplo.

A presidente do Instituto Iris, Thays Martinez, foi uma das primeiras pessoas a contar com cães-guia no Brasil. Em 2000, passou a ter a companhia de Boris, um labrador amarelo treinado nos Estados Unidos. O cachorro foi aposentado em 2008 e faleceu em 2009. Desde então, Thays passou a conviver com Diesel, um labrador na cor preta.

Ela conta que, antes da criação da lei federal 11.126, de 2005, a dificuldade para entrar com o cachorro nos locais de grande circulação era ainda mais difícil. Ela travou batalha judicial com o Metrô de São Paulo, que não queria deixá-la entrar nas composições com o animal. Foi necessária uma liminar que garantisse o acesso. "Infelizmente, as pessoas têm falta de conhecimento e acabam rejeitando os animais por ignorância."






sábado, 27 de agosto de 2011

1º Outdoor com tema de Direitos Animais


O ULA irá colocar o 1º Outdoor com tema de Direitos Animais na Zona Oeste do Rio de Janeiro, em Campo Grande, o bairro mais populoso da cidade. Levando em consideração o contexto da área em que será veiculado, o conceito para a elaboração da mensagem trata das problemáticas dos animais domesticados (cães e gatos: exploração comercial, abandono, violência, adoção, castração e denúncia ) e tem como mensagem principal, "ANIMAIS NÃO SÃO PRODUTOS" e devem ser respeitados e protegido como sujeitos, incentivando a Adoção e a Castração. Ao final, há a mensagem convidando a conhecer o Veganismo, que é a prática dos Direitos Animais, com informações disponíveis no site do Ula.

Escolhemos abordar neste primeiro outdoor os animais domesticados, por uma progressão pedagógica. A zona oeste tem um alto número de animais abandonados, maus tratos, pet shops e feiras vendendo filhotes, e a adoção na área é quase nula. Inicialmente pensamos em um outdoor com uma mensagem do tipo “Se você ama uns, por que come outros?”, com a imagem de um cão e uma vaca, mas percebemos que na região, mal se “ama” o primeiro. 

Somos um grupo de Direitos Animais, e como tal, divulgamos o veganismo. Entendemos que não há como se falar de Direitos Animais, sem se falar de veganismo, ou então, estará ocorrendo a exploração animal, e não a sua libertação. E realmente não nos atemos apenas a um tipo de exploração ou a um ou dois tipos de espécies exploradas. Esse é apenas o primeiro outdoor de outros que virão, aprofundando a mensagem dos Direitos Animais.

O Outdoor será veiculado a partir de 12 de Setembro, na Avenida Cesário de Melo - Campo Grande, Rio de janeiro (ao lado so hipermercado Intercontinental - próximo ao Calçadão). 

É bem no centro comercial de Campo Grande, perto de escola, banco, lojas, ponto de ônibus...Com grande movimento de carros e muitos pedestres. Pessoas de diversos bairros irão entrar com contato com a mensagem de direitos animais. Estamos muito felizes e satisfeitos com o sucesso dessa campanha. Esse outdoor é uma realização MUITO especial, estamos dando um grande passo. A educação muda tudo: esse Outdoor com certeza irá transformar vidas!

O Ula foi o idealizador desse projeto, mas os realizadores do Outdoor foram os parceiros VX Comunicação, Grupo Katumbaia, Veterinária Ipê e cada portador de chaves (lista no site do Ula), que colaboraram de forma fundamental para o outdoor se tornar real. Essa iniciativa e união é muito importante para as ações em prol dos animais se realizarem. Muito obrigada pela colaboração e confiança.

Em breve anunciaremos sobre o sorteio da Cesta de Produtos Veganos!





Camiseta com focinho


Quer fazer uma homenagem para o seu melhor amigo? 

É só escolher uma das camisetas da marca norte-americana The Mountain e sair por aí, com o cachorro estampado na roupa. 

As peças trazem fotografias realistas de animais de várias raças: tem rotweiller, labrador, golden retriever… 








Fonte: http://colunas.casaejardim.globo.com/bichoemcasa
 

Vídeo mostra cachorro ladrão sendo desmascarado





Denver sorri ao ser interrogado pelo dono, que filma tudo

Quinze dias depois da publicação no YouTube, um vídeo que mostra um labrador ladrão sendo desmascarado já teve mais de 300 mil acessos. Denver, o cachorro em questão, roubou o petisco do gato da família, e seu dono resolveu gravar as imagens para revelar o seu “crime”.

Tudo começa quando o homem percebe que a embalagem da ração do bichano está violada. Como além do gato também tem dois cães na casa, ele fica na dúvida sobre quem é o “criminoso”. Ele liga a câmera e questiona a golden retriever Macy. Mostra a embalagem vazia e pergunta se foi ela. A cadela não se entrega e parece tranquila. Quando o americano vira a câmera e interroga o labrador Denver, tudo parece estar resolvido. Com um olhar bem suspeito, o cão aparece balançando a cauda e abaixa a cabeça, reconhecendo que fez algo errado.

O dono mostra a embalagem vazia a Denver e ele acaba confessando a arte ao abrir um sorriso safado. O homem repreende o animal e pede para que ele vá para a sua casinha, como castigo. O vídeo termina quando o dono chama a atenção também de Macy, dizendo que a cadela deveria ter evitado a arte de Denver.


Assista ao vídeo:






sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Vips confirmam presença no segundo dia da I Campanha Adote um Peludo


Próxima evento da 

I Campanha Adote Um Peludo:

Sábado, 27/08

Das 10.00h às 18.00h

Venham conhecer nosso trabalho em prol dos animais abandonados.




As madrinhas foram as atrizes Debby Lagranha, Natália Souto e Josie Pessoa 
lustração/Divulgação




A I Campanha Adote um Peludo, que aconteceu no dia 13/08 (sábado), na Feira de Adoção de Cães e Gatos no Largo do Machado, Zona Sul do Rio de Janeiro, foi um sucesso!

As madrinhas da semana foram as atrizes Debby Lagranha, Natália Souto e Josie Pessoa. A cantora Gottsha também compareceu e participou do evento.

Mais de 40 animais, incluindo cães e gatos, ganharam um novo lar e terão uma vida melhor.

Agora, o nosso objetivo é bombar o segundo dia da Campanha, que acontecerá no dia 27/08 (sábado) e contará com mais célebres. Além do show beneficente do cantor e compositor Luciano Bahia e da cantora Pamela Lika, que levarão o melhor do pop e do dance music para quem passar por ali, os atores Stênio Garcia e Marielene Saade, também, estarão presentes apadrinhando os animais que forem adotados entre 10h30 e 11h30 da manhã. 

A assistente de palco do Faustão, Carolina Nakamura, que seria a madrinha da Campanha no primeiro dia ao lado de Debby, Natália Souto e Josie Pessoa, mas que não pôde comparecer por conta de uma fratura no pé, já confirmou sua presença no sábado, dia 27 e, também, amadrinhará os peludos que forem adotados na ocasião, durante o sábado. Outro padrinho da campanha é o ator Paulo Silvino. Paulo estará na parte da tarde dando aquela força, tanto aos bichinhos que forem adotados, quanto aqueles que ainda estiverem a espera de um novo lar.

Mas, não pára por aí… As atrizes, que foram madrinhas da primeira semana, pretendem repetir a dose e marcar presença no local para ajudar a Campanha, que tem o apoio do blog Peludos em Ação, das jornalistas Luciana Costa Barretto e Ana Paula Lacerda.

Vale lembrar que a FEIRA DE ADOÇÃO DO LARGO DO MACHADO É ORGANIZADA E PROMOVIDA pela protetora Regina Helena de Oliveira, responsável pelo projeto Pet Shop Legal Doa Animal e pelo protetor Tony Pires, do Resgate de Animais.

A tradicional Feira de Adoção do Largo do Machado acontece quinzenalmente, aos sábados, conta com a participação de diversos amantes da causa animal, entre eles da protetora de animais convidada, Dina, do blog Patas e Patas.(http://patasepatas.blogspot.com).










Decodificando a linguagem dos gatos



Os gatos têm sua própria linguagem 
corporal e verbal. 

Quer entender como eles podem falar com você? 

Confira 7 dicas:












quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Odeio Rodeio II

Os protestos da Proteção já está surtindo efeito.
Agora é hora de "BOMBAR" os patrocinadores com nosso repúdio.

Vejam aqui modelo de email e endereço dos patrocinadores dessa barbárie. 




24/08/2011 - 10h31
Peão que matou bezerro em Barretos diz sofrer retaliação
ANA SOUSA
DE RIBEIRÃO PRETO
Atualizado às 12h44.
Um dos melhores bulldogueiros [peão que domina o bezerro com as mãos] do Brasil, César Brosco não deve participar do Rodeio
Na sexta-feira, segundo dia da festa, Brosco imobilizou um bezerro que acabou ficando tetraplégico e, por isso, foi sacrificado. "Querem [a organização] abafar o caso", disse Brosco à Folha.
Entidades de defesa animal dizem que vão recorrer à polícia e à Promotoria.
A Associação Nacional de Bulldog informou que Brosco foi suspenso por seis meses por ter feito uma manobra de "forma irregular" que resultou na morte do animal.






Folha - Houve algum erro durante a prova?
César Brosco - Foi acidente. Não tem como dizer que o erro foi meu. Talvez o jeito que o boi caiu foi errado. Não é normal quebrar assim.
Você vai ser investigado...
Fui chamado para uma reunião. Falaram para eu não vir ao rodeio, cancelaram minha inscrição.
Qual foi a justificativa?
Querem [a organização] abafar o caso. A intenção deles é arranjar um culpado.
A decisão te surpreendeu?
Demais. Na verdade, tinha que ter um responsável. Ele [um dos organizadores] falou: "perante a lei quem vai responder é você".
A que leis eles se referiam?
A esses protetores dos animais. Como foi acidente, achei que poderia vir competir. Mas eles falaram: "não, é bom você nem vir".
Edson Silva - 19.ago.11/Folhapress

OUTRO LADO
Organizador da festa, o clube Os Independentes informou que Cesar Brosco fez uma manobra "irregular".
Relatório assinado por técnicos do Centro de Estudos do Comportamento Animal, segundo a nota, diz que o bezerro caiu para o lado direito e o competidor girou o pescoço dele para a esquerda.
A nota diz ainda que Brosco foi informado pela Associação Nacional de Bulldog da sua suspensão.

Odeio Rodeio

Repassamos apelo da protetora Beth, que tem nosso integral apoio


SE VOCÊ GOSTA DE RODEIOS, VEJA ISTO, QUEM SABE TE AJUDE A REVER TEUS CONCEITOS SOBRE DIVERSÃO. 

Crime Ambiental no Rodeio de Barretos: bezerro torturado e assassinado!!!!!! 

Mais um CRIME AMBIENTAL foi cometido no Rodeio de Barretos: um novilho (bezerrinho) foi assassinado logo após ser torturado numa prova das mais cruéis (importada da cultura norte-americana) cujo nome é bulldog quando o INDEFESO animal tem o pescoço torcido. 

Muitos não aguentam o sofrimento e acabam morrendo. Foi o que aconteceu nesta segunda-feira quando o novilho teve uma lesão cervical. Se isto acontece durante o rodeio, imaginem durante os treinamentos quando a imprensa e o público não estão presentes, como isto deve ocorrer com mais frequência ainda. 

VOCÊ É CÚMPLICE DESSA MONSTRUOSIDADE???







Barretos atrai R$ 6 milhões em patrocínios 
Amigos, vamos conscientizar os PATROCINADORES :


Honda -  ouvidoria : Tel. : 0800 771 5707 ou deixe um comentário: 
http://www.mundodastribos.com/motos-honda-2012-lancamentos-precos.html/comment-page-1#comment-227032

Sugerimos que a Honda não patrocine mais Rodeios. É uma desmoralização para sua imagem, que está evoluindo e se preocupando com ações sócioambientais em campanhas voltadas para a Educação e Cultura. Se preocupa também em criar soluções tecnológicas que causem menor impacto ao Meio Ambiente. Este patrocínio está totalmente em desacordo com suas propostas. 

Queremos deixar claro que somos a favor das festas populares e folclóricas, com danças e músicas sertanejas, feiras de exposição, praças de alimentação, enfim diversas modalidades de eventos sociais, esportivos e de entretenimento,porém não concordamos com eventos que pratiquem crueldades com animais.Queremos uma sociedade mais ética e responsável que respeite o Meio Ambiente, onde a vida dos animais seja valorizada! 

A HONDA COM CERTEZA NÃO PRECISA DESSE TIPO DE PROPAGANDA NEGATIVA 


Sugerimos que a Brahma não patrocine mais Rodeios. É uma desmoralização para sua imagem, que está evoluindo e se preocupando com ações sócioambientais com campanhas de consumo responsável e reciclagem.

Queremos deixar claro que somos a favor das festas populares e folclóricas, com danças e músicas sertanejas, feiras de exposição, praças de alimentação, enfim diversas modalidades de eventos sociais, esportivos e de entretenimento,porém não concordamos com eventos que praticam crueldades com animais.

A BRAHMA NÃO PRECISA DESSE TIPO DE PROPAGANDA NEGATIVA!


Sugerimos que o GUARANÁ ANTÁRTICA não patrocine mais Rodeios. É uma desmoralização para sua imagem, que está evoluindo e se preocupando com ações sócio-ambientais com campanhas de consumo responsável e reciclagem.

Queremos deixar claro que somos a favor das festas populares e folclóricas, com danças e músicas sertanejas, feiras de exposição, praças de alimentação, enfim diversas modalidades de eventos sociais, esportivos e de entretenimento,porém não concordamos com eventos que praticam crueldades com animais. 

Queremos uma sociedade mais ética e responsável que respeite o Meio Ambiente, onde a vida dos animais seja valorizada! 

O GUARANÁ ANTÁRTICA NÃO PRECISA DESSE TIPO DE PROPAGANDA NEGATIVA!

Sugerimos que a REDECARD não patrocine mais Rodeios. É uma desmoralização para sua imagem, que está evoluindo e se preocupando em patrocinar Projetos Sócio Ambientais em campanhas voltadas para a inclusão social a educação e a cultura.

Este patrocínio está totalmente em desacordo com suas propostas. 

Queremos deixar claro que somos a favor das festas populares e folclóricas, com danças e músicas sertanejas, feiras de exposição, praças de alimentação, enfim diversas modalidades de eventos sociais, esportivos e de entretenimento,porém não concordamos com eventos que pratiquem crueldades com animais. 

Queremos uma sociedade mais ética e responsável que respeite o Meio Ambiente, onde a vida dos animais seja valorizada! 

A REDECARD COM CERTEZA NÃO PRECISA DESSE TIPO DE PROPAGANDA NEGATIVA 


Solicitamos que o Sesi não patrocine mais Rodeios. 

É uma desmoralização para sua imagem, que está evoluindo e se preocupando em patrocinar Projetos Sócio Ambientais em campanhas voltadas para a Inclusão Social, a Educação e a Cultura.

Este patrocínio está totalmente em desacordo com suas propostas de responsabilidade Social. Precisamos dar bons exemplos à Sociedade e principalmente às crianças!

Queremos deixar claro que somos a favor das festas populares e folclóricas, com danças e músicas sertanejas, feiras de exposição, praças de alimentação, enfim diversas modalidades de eventos sociais, esportivos e de entretenimento,porém não concordamos com eventos que pratiquem crueldades com animais.

Queremos uma sociedade mais ética e responsável que respeite o Meio Ambiente, onde a vida dos animais seja valorizada! 

O SESI COM CERTEZA NÃO PRECISA DESSE TIPO DE PROPAGANDA NEGATIVA 


Sugerimos que a Editora Três não patrocine mais Rodeios. É uma desmoralização para sua imagem, que está evoluindo e se preocupando em apoiar projetos de responsabilidade sócio-ambiental, com o objetivo de implementar a consciência para um mundo melhor e sustentável São campanhas voltadas para a inclusão social a Educação e a Cultura.

Este patrocínio está totalmente em desacordo com suas propostas de um "Planeta Sustentável". 

Queremos deixar claro que somos a favor das festas populares e folclóricas, com danças e músicas sertanejas, feiras de exposição, praças de alimentação, enfim diversas modalidades de eventos sociais, esportivos e de entretenimento,porém não concordamos com eventos que praticam crueldades com animais. 

ESTÁ NA HORA DE INOVAR E SE ADAPTAR AOS NOVOS TEMPOS, CRIANDO UM RODEIO QUE NÃO UTILIZE ANIMAIS! 

Queremos uma sociedade mais ética e responsável que respeite o Meio Ambiente, onde a vida dos animais seja valorizada ! 

A EDITORA TRÊS COM CERTEZA NÃO PRECISA DESSE TIPO DE PROPAGANDA NEGATIVA 


Quando preencher o formulário, eles vão perguntar qual o número do seu IP, ou seja é uma identificação única para cada computador conectado na internet.
Ao acessar o site http://www.whatismyip.com/ será mostrado o seu número de IP. 

Sugerimos que a UOL não patrocine mais Rodeios. É uma desmoralização para sua imagem, que está evoluindo e se preocupando em apoiar projetos de responsabilidade sócio-ambiental, com o objetivo de implementar a consciência para um mundo melhor e sustentável São campanhas voltadas para a inclusão social a Educação e a Cultura.

Este patrocínio está totalmente em desacordo com suas propostas sustentáveis! 

Queremos deixar claro que somos a favor das festas populares e folclóricas, com danças e músicas sertanejas, feiras de exposição, praças de alimentação, enfim diversas modalidades de eventos sociais, esportivos e de entretenimento,porém não concordamos com eventos que praticam crueldades com animais. 

ESTÁ NA HORA DE INOVAR E SE ADAPTAR AOS NOVOS TEMPOS, CRIANDO UM RODEIO QUE NÃO UTILIZE ANIMAIS! 

Queremos uma sociedade mais ética e responsável que respeite o Meio Ambiente, onde a vida dos animais seja valorizada!

A UOL COM CERTEZA NÃO PRECISA DESSE TIPO DE PROPAGANDA NEGATIVA 


Sugerimos que a Revista ISTO É, como tem um nome a zelar, não patrocine mais Rodeios é uma desmoralização para sua imagem, que está evoluindo e se preocupando em apoiar projetos de responsabilidade sócio-ambiental, com o objetivo de implementar a consciência para um mundo melhor e sustentável São campanhas voltadas para a inclusão social a Educação e a Cultura.

Este patrocínio está totalmente em desacordo com suas propostas.

Queremos deixar claro que somos a favor das festas populares e folclóricas, com danças e músicas sertanejas, feiras de exposição, praças de alimentação, enfim diversas modalidades de eventos sociais, esportivos e de entretenimento,porém não concordamos com eventos que pratiquem crueldades com animais. 

ESTÁ NA HORA DE INOVAR E SE ADAPTAR AOS NOVOS TEMPOS, CRIANDO UM RODEIO QUE NÃO UTILIZE ANIMAIS! 

Queremos uma sociedade mais ética e responsável que respeite o Meio Ambiente, onde a vida dos animais seja valorizada!

A "ISTO É " COM CERTEZA NÃO PRECISA DESSE TIPO DE PROPAGANDA NEGATIVA .

SUPERMERCADOS SAVEGNAGO- http://www.savegnago.com.br/sac.htm

Sugerimos que O SUPERMERCADOS SAVEGNAGO, como tem um nome a zelar, não patrocine mais Rodeios. É uma desmoralização para sua imagem, que está evoluindo e se preocupando em apoiar projetos de responsabilidade sócio-ambiental, com o objetivo de implementar a consciência para um mundo melhor e sustentável São campanhas voltadas para a inclusão social a Educação e a Cultura.

Este patrocínio está totalmente em desacordo com suas propostas. 

Queremos deixar claro que somos a favor das festas populares e folclóricas, com danças e músicas sertanejas, feiras de exposição, praças de alimentação, enfim diversas modalidades de eventos sociais, esportivos e de entretenimento,porém não concordamos com eventos que praticam crueldades com animais. 

ESTÁ NA HORA DE INOVAR E SE ADAPTAR AOS NOVOS TEMPOS, CRIANDO UM RODEIO QUE NÃO UTILIZE ANIMAIS! 

Queremos uma sociedade mais ética e responsável que respeite o Meio Ambiente, onde a vida dos animais seja valorizada! 

O SUPERMERCADO SAVEGNAGO COM CERTEZA NÃO PRECISA DESSE TIPO DE PROPAGANDA NEGATIVA 

ESCOLA DE SAMBA UNIDOS DA TIJUCA : http://unidosdatijuca.com.br/contato/

Sugerimos que A Escola de Samba Unidos da Tijuca, como tem um nome a zelar, não patrocine mais Rodeios. É uma desmoralização para sua imagem, que está evoluindo e se preocupando em captar patrocínio para apoiar projetos de responsabilidade sócio-ambiental, com o objetivo de implementar a consciência para um mundo melhor e sustentável. São campanhas voltadas para a inclusão social a Educação e a Cultura.

Este patrocínio está totalmente em desacordo com suas propostas. 

Queremos deixar claro que somos a favor das festas populares e folclóricas, com danças e músicas sertanejas, feiras de exposição, praças de alimentação, enfim diversas modalidades de eventos sociais, esportivos e de entretenimento,porém não concordamos com eventos que praticam crueldades com animais. 

ESTÁ NA HORA DE INOVAR E SE ADAPTAR AOS NOVOS TEMPOS, CRIANDO UM RODEIO QUE NÃO UTILIZE ANIMAIS! 

Queremos uma sociedade mais ética e responsável que respeite o Meio Ambiente, onde a vida dos animais seja valorizada! 

A ESCOLA DE SAMBA UNIDOS DA TIJUCA COM CERTEZA NÃO PRECISA DESSE TIPO DE PROPAGANDA NEGATIVA 


Cantora Paula fernandes: escrevam para: Assessoria de Imprensa:amandaferro@talisma.art.br
Maestro João Carlos Martins: fundacaobachiana@terra.com.br

Sugerimos que a Cantora Paula Fernandes e ao Maestro João Carlos Martins, que têm um nome a zelar, que, por favor, não patrocinem mais Rodeios. 


É uma desmoralização para a imagem de vocês, pois são artistas e devem ser com certeza, pessoas sensíveis. Crueldade só incentiva à violência e queremos uma sociedade mais ética e responsável que respeite o Meio Ambiente, onde a vida dos animais seja valorizada!

Queremos deixar claro que somos a favor das festas populares e folclóricas, com danças e músicas sertanejas, feiras de exposição, praças de alimentação, enfim diversas modalidades de eventos sociais, esportivos e de entretenimento, porém não concordamos com eventos que pratiquem crueldades com animais. 


ESTÁ NA HORA DE INOVAR E SE ADAPTAR AOS NOVOS TEMPOS, CRIANDO UM RODEIO QUE NÃO UTILIZE ANIMAIS! O CIRCO SE RECICLOU, JÁ SE RECONHECE QUE É CRUEL O USO DE ANIMAIS!

Precisamos dar bons exemplos às nossas crianças e como elas aprendem o que vivenciam, imitando o que veem e repetindo o que ouvem, certamente os rodeios irão contribuir para uma péssima formação, onde a tortura aos animais é banalizada e mostrada como entretenimento.


Os rodeios não são inofensivos como parecem!


Para o animal pular e saltar, o peão faz uso de equipamentos, como o sedém, esporas, peiteiras e, não raras vezes, chega-se ao absurdo de utilizar-se choque elétrico, maltratando os animais ainda que por alguns segundos. 


O SEDÉM consiste em uma tira feita de crina animal, fortemente amarrada no flanco inguinal (virilha) do animal, que comprime os ureteres (canais que ligam os rins à bexiga) e aperta o prepúcio e o pênis ao escroto, tornando, com isso, o animal bravio e desesperado, pois obriga-o a desvencilhar-se de tal ato, agressivo e doloroso. Quando os animais amarrados por esta tira são soltos na arena e recebem um forte puxão, recebem uma forte compressão na região dos vazios do animal, fazendo com que ele reaja com coices, enquanto estiver correndo; 


As ESPORAS, às vezes pontiagudas, consistem em metais que são usados pelos peões durante o rodeio, fincados no baixo ventre, peito, pescoço e cabeça do animal. Tal fato é tão grave que há casos registrados em relação a alguns animais que foram cegados ao serem atingidos pela espora. 


As PEITEIRAS consistem em uma corda de couro amarrada fortemente em volta do peito do animal, causando-lhe desconforto, dor e lesões no tecido. Algumas peiteiras são dotadas de sinos e colocados, geralmente, nos bois, provocando um ruído característico, alterando o estado do animal diante da elevação drástica da adrenalina. Este incômodo ocasiona uma reação imediata do animal que procura se desvencilhar do seu instrumento de tortura. 


Os peões, de outra parte, costumam utilizar laços para outras modalidades, dentre elas o "pega garrote", o "laço de oito braças", que provocam constantes quedas do animal-vítima ao solo, violentamente. 


Prática comum também é a "mesa da amargura", onde grupos de pessoas ficam sentados em mesas na arena aguardando a ação do animal que se lança em direção às mesas e acabam por se ferir. Frise-se que o animal, de regra, é estimulado com choques e estocadas produzidas por instrumentos contundentes, a fim de que se torne bravio antes de ingressar na arena, o mesmo ocorrendo com o "fut-boi". Registram-se casos de fraturas nos animais, especialmente nos pescoços e nas pernas. 

Por estas razões é que diversas entidades de defesa do meio ambiente, especialmente as organizações de proteção aos animais, condenam esse tipo de "festa", a qual também é vedada na Inglaterra, país conhecido como exemplo de respeito ao meio ambiente. E também não é por acaso que a malfadada festa de rodeio está proibida em diversas cidades do Estado de São Paulo. 

Por favor, repensem...
Nome/ Estado