Follow by Email

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

DICAS

CONSELHO PROÍBE
CIRURGIAS ESTÉTICAS
EM ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO

O Conselho Federal de Medicina Veterinária institui normas regulatórias por meio da Resolução nº 877, publicada no Diário Oficial da União em 19.03.08, visando disciplinar, uniformizar e normatizar as cirurgias em pequenos animais e em animais silvestres.

Esta proibido cirurgias estéticas em animais de estimação como corte de orelhas (conchectomia) e cordas vocais (cordectomia) em cães e retirada das unhas nos gatos (onicectomia), além do corte de asas em animais silvestres. O texto também tornou desaconselhável a debicagem de aves em granjas e o corte de cauda e extração de dentes de porcos, bem como o corte de rabo de cães.
Segundo a resolução, “as intervenções cirúrgicas ditas mutilantes, em pequenos animais, têm sido realizadas de forma indiscriminada em todo o país e muitos procedimentos são danosos e desnecessários, o que fere o bem-estar dos animais”. De acordo com o texto, a regulamentação visa coibir práticas que impeçam o comportamento natural da espécie.

RESOLUÇÃO Nº 877, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2008

CAPÍTULO IV
CIRURGIAS ESTÉTICAS MUTILANTES EM PEQUENOS ANIMAIS

Art. 7° Ficam proibidas as cirurgias consideradas desnecessárias ou que possam impedir a capacidade de expressão do comportamento natural da espécie, sendo permitidas apenas as cirurgias que atendam as indicações clínicas.

§1° São considerados procedimentos proibidos na prática médico-veterinária: conchectomia e cordectomia em cães e, onicectomia em felinos.
§2° A caudectomia é considerada um procedimento cirúrgico não recomendável na prática médico-veterinária.

http://www.cfmv.org.br/portal/legislacao/resolucoes/resoluca_877.pdf

Fonte de Consulta: Saúde Animal

PARA ADOÇÃO - PIETRO

ADOÇÃO-PIETRO

Pietro é um lindo gatinho que está procurando um lar. Ele tem cerca de 1 aninho de idade, é muito meigo, dócil e ainda por cima pede colo. Ele se da bem com outros gatinhos também.

É um sucesso só, pois sobe no colinho das pessoas abraça o pescoço e da beijinho no rosto, rs.
Já está castradinho e vacinado!

Quer levar essa delicinha para sua casa?

Mal causado pelo cigarro
a animais domésticos
sensibiliza fumantes

Fumo passivo faz tanto mal à saúde dos animais domésticos quanto aos seres humanos Pessoas que se recusam a parar de fumar, mesmo conscientes dos malefícios do cigarro, podem largar o vício ao descobrir que a fumaça também faz mal a seu animal de estimação, afirma um estudo americano, publicado nesta terça-feira.

Pesquisadores americanos entrevistaram 3.293 donos de cães, gatos ou pássaros em uma área da cidade de Michigan, através de um questionário na internet sobre o comportamento dos fumantes. Entre os entrevistados, 21% declararam ser fumantes regurales, consumindo uma média de 13 cigarros e meio por dia - cerca de metade deles dentro de casa. Outros 27% informaram conviver em casa com pelo menos um fumante.
Aproximadamente um em cada três fumantes - 28,4% - afirmou que, se soubesse que o fumo passivo faz mal a seus animais de estimação, largaria o vício.Entre os não-fumantes que vivem com fumantes, por outro lado, apenas 16,4% disseram que pediriam ao parceiro para parar de fumar se descobrissem que o animal de estimação da casa está sendo prejudicado.

O estudo menciona fortes indícios de que o fumo passivo faz tanto mal à saúde dos animais domésticos quanto aos seres humanos, e que poucas pessoas sabem disso."Campanhas educativas informando donos de animais sobre os riscos da exposição (ao fumo passivo) para eles poderia motivas alguns a parar de fumar", estimam os autores da pesquisa.

O estudo, que será publicado no jornal britânico Tobacco Control, foi realizado por Sharon Milberger, do Henry Ford Health System de Detroit, Michigan. (AFP)
http://www.cruzeiro/ dosul.inf. br/materia. phl?editoria= 38&id=159719
Fonte:Cruzeiro On Line

domingo, 22 de fevereiro de 2009

DICAS

COMO SE ORGANIZAR PARA TER UM CÃO

Sonhando em ter um cachorrinho de estimação?
Há cães de várias idades e perfis, cada um com características diferentes. Difícil de se decidir entre um deles, mas lembre-se de uma coisa: os animais não são objetos dos quais podemos nos desfazer pelo simples mudar de gosto, de idéia, casar ou ter filhos. Chegam tomando espaço na casa inteira e também em nosso coração. Prepare-se para recebê-los sem se arrepender depois.

BRINQUEDOS: Adquira todos os itens necessários antes de trazer seu amiguinho para casa. Ele vai querer brincar com sapatos, meias, poltronas, e qualquer outra coisa que possa mordiscar.Certifique-se que o brinquedo não seja de material sintético, não tenha partes metálicas e que tenha tamanho apropriado.

TIGELA DE COMIDA: Preste atenção também na escolha da tigela de comida. Se ela for muito pequena seu cão não vai conseguir abrir a boca totalmente para se alimentar, terminando por virar a tigela e espalhar a ração no chão. As tigelas devem sempre ficar a altura do peito de seu animal para maior conforto então, à medida que ele cresce, ela deve ser suspensa do chão, evitando que seu bichinho engula ar enquanto come (aerofagia). As pet shops estão equipadas com mesas apropriadas para todos os tipos de portes de cães.

ÁREA DE DORMIR: Na hora de escolher um lugar para seu cãozinho dormir, dê preferência a locais onde ele possa se refugiar quando houver visitas em casa, quando estiver doente ou quando alguma criança o estiver perturbando. A área de serviço do apartamento – ou a lavanderia da casa – é o espaço mais adequado para hospedá-lo nos primeiros três meses, até que comece a se ambientar.

CAMA: Quanto à cama, evite as feitas com vime, pois eles podem roê-las e acabar engolindo farpas e fragmentos perigosos para o trato digestivo. Procure as feitas de tecido a base de algodão ou outras fibras naturais que sejam laváveis e sem botões que possam ser engolidos.O tamanho deve ser adequado ao animal e não esqueça que os cães dormem encolhidos.

ORGANIZE-SE: Antes mesmo de adotar um cachorrinho, procure definir algumas tarefas entreas pessoas da casa. Quem vai cuidar da sua alimentação? Quem vai cuidar da higiene? Quem vai levá-lo para passear?

SEGURANÇA: Verifique na sua residência se existe algum fio elétrico solto ou objetos frágeis que possam ser derrubados facilmente. Seu animal doméstico pode causar acidente com eles. Muito cuidado ao guardar materiais de limpeza, pesticidas, raticidas, pois essas substâncias são perigosíssimas. Até mesmo alimentos comuns e plantas podem causar problemas para a saúde do seu cachorro. Medicamentos destinados a seres humanos não devem, em hipótese alguma, ser utilizados para o tratamento de seu animal doméstico. Qualquer substância estranha ao corpo do animal pode ser fatal. Fique sempre atento com o comportamento do seu cão para detectar se ele está doente ou se machucou de alguma forma. Neste caso, leve-o ao veterinário.

FUGA: Antes de receber seu amiguinho certifique-se que não haja lugares em sua casa por onde o animal possa pular ou passar para rua. Todos em casa devem estar atentos em manter as portas sempre fechadas, nuca esqueça o portão aberto. Uma vez que seu animal fuja pode acabar se desorientando e se perdendo, pdoendo vira sofrer acidentes.

PASSEIOS NA RUA: A maioria dos animais adora um bom passeio na rua. Escolha uma coleira adequeada ao seu animal. NUNCA, nunca leve seu animal para passear na rua sem coleira, animais podem agir por impulso e quando você menos esperar ele fogem ou atravessam ruas podendo vir a sofrer um acidente sério! Ainda, o animal na coleira evita brigas na rua.

ALIMENTAÇÃO: Nessa hora não se deve economizar. Uma boa alimentação é o que irá garantir a saúde e um bom crescimento ao seu amiguinho. Não escolha rações muito baratas, existem muitas razões de preços razoáveis que são ótima. Ainda, só compre rações fechadas e lacradas, nunca pesada no quilo. Essa rações muitas vezes ficam expostas e acabam sendo avo de contaminação.

HORA DO XIXI: Quando o cachorro fizer xixi dentro de casa, limpe logo com vinagre ou produtos específicos para eliminar o cheiro. Não maltrate seu bichinho: esfregar seu nariz no xixi e gritar com ele não adianta nada, só vai apavorá-lo. Mostre para ele o local certo onde deve fazer suas necessidades. Um jornalzinho marcando o lugar certo para o xixi pode ajudar bastante.

HIGIENE: Os animais não precisam tomar tantos banhos como os humanos, um banho a cada 7 ou 15 dias é suficiente para eles. Na hora do banho não esqueça de proteger as orelhas do seu amiguinho com algodão, para evitar água nessa região. Use apenas produtos e sabonetes próprios para aniamais. E seque bem seu animal após o banho para evitar problemas na pele. Algumas raças necessitam de tosas. As unhas também devem ser cortadas de tempos em tempos por um profissional especializado. Alguns donos também escovam os dentes de seus animais, mas lembre-se soemnte com produtos para especificos para animais.

SAÚDE: A qualquer sinal diferente em seu animal (vômitos, diarréias, sangue, prostração...) consulte um veterinário. E lembre-se que seu cãozinho deve ser vacinado uma vez ao ano, com a Décupla e a Raiva.

Por fim, o mais importante é que todos em casa estejam de acordo com a chegada do novo amiguinho, para evitar futuros problemas. E depois é só curtir o seu cãozinho, dando muito amor e carinho a ele !

sábado, 21 de fevereiro de 2009

DICAS

ACUPUNTURA

OPÇÃO DE TRATAMENTO PARA ANIMAIS


Apesar da acupuntura ser utilizada há anos no Brasil, apenas a partir da década de 90 a técnica começou a ser aplicada na medicina veterinária e visa promover o equilíbrio energético do corpo dos animais e a capacidade de cura. Segundo a veterinária Andréa Dikerts Mutti, a Medicina Tradicional Chinesa acredita que a doença é uma manifestação do desequilíbrio energético do corpo, que pode ser causado por muitos problemas, tais como: doença crônica, trauma, estresse, má nutrição, fraqueza, fatores ambientais (frio, calor, umidade, secura), excesso ou falta de exercício. "Em todos os animais existem localizações específicas na superfície do corpo chamadas de acupontos. A inserção de agulhas finas de aço inoxidável nesses pontos promove a estimulação e influência dos mesmos", explica a veterinária.

De acordo com Andréa, existem outras maneiras de estimulação dos pontos, que podem ser feitas através de aplicação de calor (moxabustão), eletricidade (eletroacupuntura) , substâncias farmacológicas (farmacopuntura).

"Dependendo do quadro, durante o tratamento com acupuntura, pode-se associar medicamentos homeopáticos, fitoterápicos ou convencionais, visando a obtenção de melhores resultados", diz a veterinária. Segundo Andréa, a acupuntura trata praticamente todas as doenças dos pequenos animais, com exceção dos casos cirúrgicos. Trata-se quadros de dor, artrite, problemas de coluna, de pele e de ansiedade. Em casos relacionados aos órgãos internos, a acupuntura pode atuar de forma principal ou complementar, visando solucionar ou minimizar problemas como gastrite, insuficiência renal, diabetes, infecções e até câncer. "A acupuntura é o tratamento mais indicado para animais idosos, que não podem tomar muitos medicamentos ou que não podem ser submetidos a cirurgias", complementa a especialista.

A duração do tratamento varia de acordo com a doença apresentada e com a receptividade do paciente. "Geralmente as sessões são semanais, mas alguns pacientes passam bem com sessões quinzenais ou até mensais", diz Andréa. A veterinária diz que cada sessão dura de 20 a 30 minutos e custa entorno de R$ 40,00. "Durante a acupuntura, o animal fica tranquilo e confortável, deitado ou sentado sobre um tapete ou mesa, com seu responsável sempre ao lado.

Se o cliente optar for fazer um pacote, é possível negociar um preço menor", destaca Andréa. A veterinária conta que trabalha há dois anos na área e que para realizar a acupuntura veterinária é necessário fazer um curso de especialização. "É preciso um curso de especialização em acupuntura veterinária oferecido por instituições regulamentadas", afirma Andréa.

Por Ana Ligia Noale


Indicação de Médica Veterinária no RJ para Acupuntura:
Dra. Jackeline Ribeiro
Contato:(21) 9219-3497

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

PARA APADRINHAMENTO - KATARINA E PASTORINHA

APADRINHAMENTO - NOSSA DUPLA "CASA DA VOVÓ"
KATARINA E PASTORINHA


Essas são nossas lindinhas KATARINA e PASTORINHA. Uma senhora e uma mocinha com necessidades especiais.


Katarina apesar de ser uma cadela jovem, possui uma lesão neurológica que a faz balançar e cair algumas vezes quando anda. Entretanto, ela não possui sinais clínicos de dor. Vive muito bem, como outro animal. Mas receamos que seja mais difícil para nossa Katarina uma adoção mais rápida. Isso não nos faz desistir, mas sabemos que pode demorar mais tempo. Por isso ela precisa de um padrinho que pode ajudar a manter os seus gastos, para ter uma boa vida.

Pastorinha (mesticinha de Pastor), por outro lado, é mais idosa e também possui mais dificuldades para encontrar uma adoção. Ela está em uma hospedagem, e por sinal está ótima. Os gastos dela mensais são somente com ração e hospedagem. Gostaríamos que Pastorinha pudesse ter um padrinho, alguém muito especial para ajudá-la.

Quem tiver um coração bem grande e tiver condições de apadrinhar uma de nossas meninas, elas ficariam muito Felizes. O custo mensal de cada uma é de R$150,00. Não precisa cobrir o valor todo, pode ser apenas uma parte.

Quem tiver um coração bem grande e tiver condições de apadrinhar uma de nossas meninas, elas ficariam muito Felizes. Pode ser qualquer ajuda, não precisa cobrir o valor total, qualquer ajuda já é muito válida.



Pastorinha(em cima) e Katarina (em baixo)

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

FIQUE POR DENTRO:
VÔMITOS EM GATOS
Todo proprietário de gatos já se deparou com uma surpresa não muito agradável em alguns lugares também não muito comuns: o vômito. Esta é uma queixa bastante comum especialmente na clínica de felinos.
Na maioria das vezes há raros episódios, com intervalos de tempo espaçados, que normalmente não tem muito significado clínico quando não está acompanhado de outros sintomas. Porém, se seu bichano vomita pelo menos uma vez por semana, é necessário levá-lo ao veterinário para um check-up e tentar descobrir qual a causa deste sintoma.
Observe qual o conteúdo do vômito e se há algum outro sintoma, como a perda do apetite, emagrecimento, diarréia e prostração. Estamos falando aqui de ocorrências únicas diárias de vômitos, alternados com grande espaço de tempo sem qualquer alteração (quadro crônico), e não quando seu gato começa a vomitar várias vezes num mesmo dia (quadro agudo), pois neste caso você deverá levá-lo imediatamente ao veterinário, para que ele não desidrate.
Alguns animais logo após se alimentarem expelem o alimento ingerido. Isto é chamado de regurgitação, pois o conteúdo não chegou ao estômago e, normalmente, é eliminado com uma forma cilíndrica (forma do esôfago) e o alimento não está digerido. É comum após a regurgitação o gato ingerir este conteúdo novamente (eca! não se assuste, este é um comportamento normal).
No caso do vômito, o animal elimina secreção gástrica, a consistência é mais aquosa e pode haver bile, possui um odor um tanto característico e o que foi ingerido pelo gato se encontra digerido. A recorrência do vômito em gatos pode ter várias razões, pode não ter significado clínico, ou indicar ingestão excessiva de pêlos, por falta de escovação ou por alteração comportamental (o gato arranca os pêlos compulsivamente) , ou, ainda, por problemas como alergia alimentar, gastrite, ingestão muito rápida de alimentos, lipidose hepática, obstrução intestinal e outros. Vamos comentar aqui as causas mais freqüentes.
PÊLOS:A formação de bolas de pêlo no estômago é a principal causa de vômito. Os gatos ingerem pêlos ao se lamberem e, algumas vezes, esses pêlos causam no estômago alterações na motilidade e irritação da mucosa gástrica (gastrite). A forma simples de se evitar ou minimizar o problema é a escovação diária, a favor e contra o sentido do pêlo. Gatos de pêlos longos apresentam mais problemas, mas os de pêlo curto padecem do mesmo mal. Além da escovação há alguns produtos que ajudam o felino a expelir as bolas de pêlo.
ALERGIA ALIMENTAR: Mudanças súbitas na dieta como a troca de ração também podem desencadear vômitos. Observe se a ocorrência do problema está ligada a estas causas e converse com o veterinário. Existem rações hipoalergênicas no mercado (para animais sensíveis), que diminuem ou evitam a intolerância alimentar. Às vezes uma simples mudança de ração já resolve o problema.
CORPO ESTRANHO: Devido à curiosidade dos gatos, existe a possibilidade de ingestão de objetos que podem obstruir o trato digestivo e ocasionar vômitos. O mais comum é a ingestão de corpos lineares (fios, linhas ou barbantes). Esta é uma condição séria, que requer intervenção cirúrgica, mas que pode se iniciar com vômitos esporádicos. Para o correto diagnóstico são necessários radiografias, ultra-sonografia e um exame clínico apurado.
Existem outras causas de vômitos em gatos, como: parasitismo (vermes), pancreatite, distúrbios hepáticos, infecções, medicamentos, toxinas ou plantas. Se você se depara com vômito esporadicamente, mas o apetite, a atividade e o comportamento de seu animal são normais, não há necessidade de preocupação. Faz parte do nosso convívio com eles (embora não seja a parte mais agradável!), mas, se vem acontecendo com freqüência, não hesite em contatar o veterinário. Esta é a atitude mais correta a ser tomada. Seu bichano agradece!

Por Dra. Patrícia Nuñez Bastos de Souza, Médica Veterinária.
patriciaveterinaria@gmail.com

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

FLORAIS DE BACH PARA CÃES -
ajudando nos casos de obesidade
Os animais podem sofrer de obesidade fisiológica, devido a alimentos impróprios para seu consumo e falta de atividades físicas, ou patológica, que são as disfunções hormonais. A primeira causa da obesidade é a superalimentação, alimentação rica em gorduras e carboidratos, doces, restos de comida, etc. (causa fisiológica ).Parte dos animais também podem ter a obesidade do estresse (solidão ou carência de atenção). A obesidade pode levar a outras patologias.
Os Florais de Bach podem ser uma opção para auxiliar cães com problemas relacionados a obesidade. Mas devem ainda estar associados a mudança na alimentação (como rações Light) e prática de exercícios.
Florais indicados para animais que têm tendência a desenvolver obesidade (Essa lista é apenas uma sugestão, consulte o terapeuta floral):

AGRIMONY - Para tratar tormento interior. O animal, não demonstra pela aparência ou pelo comportamento, o sofrimento ou a aflição mental ou física. Agrimony ajuda a tratar os vícios nos animais, (ex. comer demais).

GORSE- Trata a desesperança. Desânimo. Para tratar animais obesos.

RESCURE - Trata o estresse, o sofrimento e a tensão, relaxando, restituindo a calma e fazendo o animal sentir-se seguro.Adaptado da matéria da Dra. Martha Follain
Fonte: http://www.greepet.vet.br/
Leia mais sobre Florais de Bach para animais em:

domingo, 1 de fevereiro de 2009

EM CLIMA DE CARNAVAL!!

Já estamos no clima de Carnaval!! rs
Um pouco de diversão...