Follow by Email

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

ANIMAIS COM NECESSIDADES ESPECIAIS


ANIMAIS COM NECESSIDADES ESPECIAIS – AMPUTADOS, PARAPLÉGICOS E TETRAPLÉGICOS


por Martha Follain





http://2.bp.blogspot.com/_EYuNG2dCi5k/SEzA-Wy-SCI/AAAAAAAAAsU/pFyR8JM_rww/s400/Prot4.jpg
Foto Young Kwak/AP
Stumpy, um canguru que vive em um santuário para animais, em Ohio, EUA, ganhou uma prótese de perna, que reproduz o movimento dos cangurus, e  foi desenvolvida por veterinários licenciados pela Sociedade Americana de Ortopedia. http:domescobar.blogspot.com    http://veja.abril.com.br/180608/p_140.shtml





Até agora, animais paraplégicos, tetraplégicos e amputados, não tinha outra opção – eram eutanasiados, para evitar uma vida de dor e sofrimento. Mas, esta perspectiva sombria está mudando, com a criação de próteses, por vários veterinários, ortopedistas, e engenheiros, em todo o mundo.


http://veja.abril.com.br/180608/imagens/animais2.jpg
A águia Beauty como foi encontrada num bosque do Alasca, com parte do bico arrancada por um tiro, e depois da aplicação da prótese. À direita, pesquisadores americanos finalizam o implante de naylon. Mas essa não é a prótese definitiva – ela receberá um bico mais resistente, de titânio.http:domescobar.blogspot.com    http://veja.abril.com.br/180608/p_140.shtml





http://veja.abril.com.br/180608/imagens/animais1.jpg
 O golfinho Fuji em seu lar, um aquário no Japão: prótese feita de borracha substitui a cauda, perdida devido a uma doença desconhecida 





  



http://veja.abril.com.br/180608/imagens/animais4.jpg
Desenvolver uma prótese para um elefante, pode-se imaginar, é tarefa complexa. Tanto que a elefanta tailandesa Motala só ganhou um modelo – ainda provisório – seis anos após pisar numa mina terrestre e sofrer a amputação da pata dianteira esquerda. Feita de lona e serragem, a prótese pesa dez quilos e é presa ao corpo por uma atadura. Os veterinários já estão trabalhando em um modelo mais leve, de fibra de vidro e silicone, para substituí-la.





http://veja.abril.com.br/180608/imagens/animais3.jpg
O cão Maulee, que vive na Geórgia, Estados Unidos: a pata, arrancada por uma ceifadeira de trigo, foi substituída por uma prótese de madeira e fibra de carbonohttp://veja.abril.com.br/180608/p_140.shtml





Várias técnicas estão se multiplicando, dentre elas, a chamada de integração óssea – uma placa de titânio é aplicada na ponta do osso, e aí é encaixada a prótese. O encaixe fica firme, e o número de infecções e dor, causados pelo atrito, ficam diminuídos. Essa técnica ainda está sendo aperfeiçoada. 






cadeira-rodas-animais-ma







No Brasil, já temos uma solução econômica para ajudar animais tetraplégicos, criada  pela  ambientalista baiana, Scheyla Bittencourt – é uma cadeira de quadro rodas em PVC, uma versão da cadeira de duas rodas, para animais paraplégicos. A tetraplegia e a paraplegia não inibem os órgão vitais como pulmões, intestinos, rins, coração. E assim, o animal, com certos cuidados, pode levar uma vida normal. Muitos animais, nessas condições, vivem até uma idade avançada.
A ambientalista é a idealizadora do Projeto Malu,http://projetomalu.blogspot.com, que age protegendo animais carentes e com deficiência corporal.



Pesquisa:
Martha Follain: www.floraisecia.com.br



---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------




Nós, do Patas e Patas, indicamos também nosso grande amigo Ricardo. Ele é protetor, amante dos animais e desenvolve os aparelhos conforme as necessidades dos animais.



Protetores para as patas
Alça ortopédica
Rampa para cães
Carrinhos para cães e gatos
E muito mais


http://www.orkut.com.br/Main#AlbumList?uid=12419062765761201076





Blog: http://rb.orthopets.nafoto.net/




No Youtube: http://www.youtube.com/watch?v=0ffZb2uVMmU 
http://www.youtube.com/watch?v=fA7G7ENZ5bE


CONTATO: 

RICARDO BASTOS 
(21) 34153412 (21) 98161634



quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Bichos Um longo caminho


PROTETORES ADOTAM REGRAS RÍGIDAS PARA DOAR ANIMAIS, QUE VÃO DE TELAS NAS JANELAS A VISITAS PARA VER SE OS BICHOS ESTÃO BEM
Maria do Carmo/Folha Imagem em 09.08.2009 


um longo caminho


por Ana Paula Boni 

Para quem teve gato desde criança, passar sete anos sem nenhum é uma longa espera. Mas o comunicólogo Carlos Knapp, 80, morava em apartamento e aguardava o momento de voltar a viver em uma casa para adotar um animal. "Sempre achei uma judiação ter bicho dentro de apartamento. "
Conseguiu se mudar do prédio para uma casa com quintal, no Sumaré, e resolveu, no final do ano passado, procurar um gato para adoção. No primeiro contato que fez com uma entidade, no entanto, ficou perplexo ao descobrir que, se ainda estivesse morando em um apartamento, seria mais fácil conseguir um bicho.

Knapp havia ido atrás da ONG Adote um Gatinho, indicada a sua mulher por um pet shop. As sócias-fundadoras, Juliana Bussab e Susan Yamamoto, são algumas dos muitos protetores de animais de São Paulo que cansaram de resgatar bicho maltratado, doente ou acidentado. E por isso impõem normas rígidas para a doação.

Não que achassem que Carlos Knapp fosse maltratar seu animal, mas a regra número um da ONG é um lar seguro para o bicho. O temor é de que o animal adotado volte para as ruas e seja atropelado, envenenado ou coisas do tipo.

Knapp não passou pelo crivo das ongueiras, que exigem muros altos, portão com tela e obstáculos que impeçam o animal de chegar à casa do vizinho, por exemplo. Elas acharam que a casa dele não tinha a segurança necessária.

"Quando vieram aqui em casa, não passaram do jardim da frente. Balançaram a cabeça negativamente" , afirma Knapp. Em janeiro, depois da negativa, ele conseguiu dois gatos de uma ninhada na vizinhança. "Eu queria ter a vida que têm os meus bichos nesta casa. A natureza do gato é essa mesma. Não dá para controlar. Eles fogem e depois voltam."

Juliana Bussab, 33, explica as razões do veto ao casal, quando há excesso de bichos esperando quem os adote. "Eu também gostaria de morar numa casa linda, espaçosa, com jardim, que meus vizinhos fossem todos do bem. Mas a realidade é outra. Tem gente que joga veneno de uma casa para a outra", rebate.

Não é só isso, conta ela. Outra regra para doação da ONG é verificar, em um apartamento, se todas as janelas têm tela, inclusive nos basculantes. E não adianta dizer que aquela que não tem tela fica sempre fechada, argumenta Juliana. "Eu tenho uma gata paralítica, que anda arrastando as duas patas traseiras. Está assim porque caiu do sétimo andar do apartamento do ex-dono."


Seleção rigorosa
Tantos riscos fazem os protetores criarem um rigoroso processo seletivo, muito diferente de feiras e centros de adoção onde um animal pode ser levado por R$ 15. A professora Valéria Cardoso, protetora independente de gatos e cachorros há dez anos, não só envia antes um questionário como depois acompanha os primeiros meses da adoção. Faz uma visita um mês após entregar o animal, depois telefona regularmente por um tempo e só então se distancia.

Valéria é do time dos que fazem o novo dono assinar um termo se comprometendo a não passar o bicho adiante, caso não o queira mais. "A qualquer momento, é só me ligar que eu vou buscar o animal."

A médica Patrícia Cancellara, do grupo PitCão, especializado em pit bulls, conta como é importante conhecer antes a casa e quem mora com o adotante. "Vamos para saber a opinião dos familiares, se todos estão cientes da adoção, dos cuidados e dos deveres que terão com o animal."

Os cuidados não são um exagero, dizem os protetores, já que os animais encontrados já sofreram bastante. "Precisamos ter muito cuidado ao doar um animal que foi abandonado, para que ele não venha a sofrer novamente", diz a médica.

Ela conta que uma vez encontrou um doberman caquético na rua. "Era cão de segurança, mas estava velho. Então, jogaram-no fora. Literalmente. Como se fosse lixo. Se me pedem cachorro para fazer segurança, não dou", afirma Valéria. Para doar um cachorro grande e rápido, como um pit bull, por exemplo, ela exige que a casa tenha um portão de contenção antes do portão da garagem.

Tratar bicho maltratado custa caro. No processo de reabilitação, os animais são levados ao veterinário, onde são castrados e vacinados. "Gasto R$ 300 por mês só com fisioterapia, acupuntura e fraldas para minha gata paralítica", conta Juliana Bussab.


Regras inflexíveis
Por isso, tela de proteção nas janelas de lar que tem gato é obrigatória, dizem as protetoras. Há quem se adapte sem reclamar. O professor Luís Faria e Silva, 43, já tinha tela em seu apartamento quando procurou a Adote um Gatinho. Na visita prévia das voluntárias, em janeiro, ele descobriu que aquela não era a tela adequada, porque o buraco era grande o suficiente para passar um gato.

"Na hora eu refleti se ia valer a pena trocar. Achei que poderia parecer excessivo. Mas é um cuidado. Não me pareceu absurdo." Mandou trocar a tela e hoje vive com dois gatos da mesma ninhada, doados pela ONG.

O mesmo não ocorreu com o industriário Rogério Bueno dos Santos, 41. No início do ano, ele quase procurou a Adote um Gatinho, mas leu antes as regras no site e desistiu. Pouco tempo depois, achou uma gata na rua e hoje possui três. "Não sou contra as exigências delas, mas acho que poderiam ser mais flexíveis. Às vezes, por causa de um item exigido e não cumprido, a pessoa acaba ficando sem o gato. Por isso, nem as procurei."

Juliana acha justo. "Do mesmo jeito que a pessoa tem o direito de procurar um animal em qualquer lugar para adotar, eu tenho o direito de negar."


cuidados para adotar um...

.. GATO
> Todas as janelas do apartamento devem ter tela, inclusive as basculantes

> Em casa, as janelas que dão para a rua precisam ter tela e deve haver obstáculo para o gato não chegar à casa do vizinho

> Os muros da casa devem ser de no mínimo três metros, sem apoio próximo

> Portão com espaço grande entre as barras também deve ser telado

... CACHORRO
> Se o cão é grande e ágil, é necessário haver um portão de contenção antes do portão da garagam da casa

> A casinha do cachorro deve ser coberta, para ficar protegida da chuva

A zooterapia com um gato


Foi com grande prazer que aceitei acompanhar um projeto de zooterapia original pois foi praticado com um gato.

O gato é um excelente meio de interação social com pessoas idosas ou doentes. Isso que ocorre nos grupos de recreação de Daddou com os doentes do hospital é de um enriquecimento incrível tanto no plano humano como no nível felino.
senhora acaricia felino

 
Se a guardiã de Daddou se dedica de coração nessa missão com os pacientes, ela é igualmente muito atenta às necessidades de seu animal: assim, ela cuida para que o bem estar de seu gato seja respeitado durante essas visitas. É importante para ele tanto quanto para as pessoas que o encontram. Sendo primordial que seu animal se sinta bem no papel em que ele atua, ela me pediu ajuda, como comportamentalista felina e especialista nas relações homem/animal.

Acompanhei então Daddou e sua guardiã nos grupos de recreação assistidos pelo animal a fim de observar o comportamento do gato, interpretar os sinais pouco perceptíveis que indicam uma certa fatiga ou inquietação dele, sinalizá-los a guardiã e explicar-lhe os gestos certos a ter com ele segundo as situações. Meu papel é de revelar os sinais, as mímicas, os comportamentos de Daddou, assim como os micro movimentos de sua calda, cabeça, olhos, orelhas ou ainda de sua língua e suas vibrissas (bigodes). Esta observação atenta me permite analisar melhor cada situação vivenciada pelo felino e de coloca-la em pratica com a zooterapia para que as necessidades do animal e seu estado emocional no momento sejam respeitados.

Neste trabalho de equipe no qual o papel de cada um é bem definido torna-se possível um trabalho de qualidade para os doentes e o respeito com o animal.

gato brinca com a senhora durante tratamento

 
Antes de colocar em pratica um projeto como esse, os indivíduos felinos devem ser objeto de uma seleção rigorosa. No caso de Daddou, o bom trabalho do guardião permitiu selecionar um filhote que possui grandes qualidades de adaptação indispensáveis a esse trabalho.

Em efeito, o papel do guardião é determinante para o futuro. São nas primeiras semanas de vida do filhote que tudo acontece, o guardião deve permitir um bom contato humano durante o período situado entre o 9° dia e a 9ª semana de vida. Isso significa que durante esse período, é necessário apresentar ao gato todos os tipos de pessoas, homens, mulheres, pessoas de portes diferentes, diferentes cores de pele, crianças de todas as idades; é assim que o filhote cria uma impressão social.

É importante saber que essa impregnação não tem garantia de vida; por esta razão, é necessário treinar a memorização de espécies amigas revitalizando regularmente a memória do gatinho e durante a sua vida adulta também.

Além da seleção rigorosa do animal, é igualmente indispensável, a quem quiser montar um projeto de zooterapia com o gato, de se aproximar de associações competentes e de ser acompanhado por um comportamentalista felino – especialista das relações homem/animal que permite estabelecer um bom relacionamento, indispensável a esses grandes momentos de trocas.

Sandrine Otsmane
(tradução por Juliana Marques)
www.comportementaliste-chats.com

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

A eficácia de Reiki em animais


Reiki em Animais - Espaço Luz e Vida
Foto: Paulo J. Celestino



A terapia Reiki em animais tem se mostrado muito eficiente, age da mesma forma que nos seres humanos, promovendo o bem estar, equilíbrio e cura de forma integral. 

É um sistema de cura milenar, suave e não invasiva, onde as mãos canalizam a energia vital do universo (Rei) e irradiam essa vibração de harmonia, restabelencendo o equilíbrio da energia vital do paciente (Ki). O Reiki também não apresenta efeitos colaterais ou contraindicações e pode ser aplicado juntamente com os tratamentos convencionais. 

A terapia pode ser usada para tratar problemas de comportamento como agressividade, estresse, depressão e também após cirurgias ajudando no processo de cicatrização, em animais idosos promovendo uma melhora na qualidade de vida e em animais com doenças terminais ajuda a suavizar e dar mais conforto, aliviando a dor e facilitando a transição para a morte. Pode, por exemplo, ser um apoio a um tratamento de acupuntura, homeopatia, essências florais e todas as outras formas de cura, ocupando cada vez mais espaço nas clínicas veterinárias. 

Para os animais saudáveis, ajuda a manter a saúde, melhora o relaxamento e promove uma sensação de calma e contentamento. 

Todos os animais podem ser tratados com a terapia Reiki. Nos animais domésticos e mansos o tratamento é feito por imposição direta das mãos. Para os animais de grande porte, agressivos e os animais silvestres utiliza-se o Reiki à distância. Seja por imposição direta das mãos ou à distância, os tratamentos são igualmente eficazes, são diversos relatos que comprovam. 

Em cavalos, por exemplo, há resultados positivos em problemas como distensões musculares, estresse, torções, dor, infecção, entre outros. Em animais domésticos os efeitos também são maravilhosos. 

Posso citar o caso de uma cachorrinha que estava com uma grave infecção intestinal, vomitava muito e mesmo depois de medicada continuou quieta, sem ânimo. Após uma aplicação de Reiki à distância ela curou-se e no mesmo dia começou a brincar. Os gatos também são extremamente sensíveis à energia Reiki e ficam tranquilos para receber o tratamento. Muitos animais adormecem durante a aplicação. 

Os animais tem a capacidade de absorver a energia de forma mais rápida e intensa do que os humanos. Depois de um tratamento, os resultados geralmente podem ser vistos nas próximas 24-48 horas. Apesar de alguns tratamentos exigirem sessões regulares para completar o processo de cura. Por isso, muitas vezes, recomenda-se que os donos aprendam a terapia para assegurar a continuidade no tratamento. 

O curso não tem restrições, está disponível a todos, basta que a pessoa se dedique ao estudo da técnica. Após ser sintonizada a pessoa poderá canalizar esta energia e tratar a si mesma, animais, plantas e outras pessoas. 

O terapeuta atua como um instrumento para a transmissão da energia que flui para o bem maior. Mesmo não sabendo qual é o problema, o Reiki sempre vai à fonte dos problemas de saúde, trazendo a cura em todos os níveis, não tendo barreiras de tempo/espaço. 


Elaine L. Teles – Consultora em Comunicação e Marketing, Mestre em Reiki, responsável pelo Espaço Luz e Vida. 

Outras informações: www.espacoluzevida.com.br

sábado, 25 de dezembro de 2010

Uma mensagem de Natal dos animais nossos irmãos para todos os seres humanos


Queridos senhor e senhora, meninos e meninas, é chegado mais um Natal, data especial, repleta de significado, e nós animais continuamos implorando amor e em muitos casos até mesmo misericórdia e compaixão, pois não podemos falar.

Nós sabemos que os seres humanos andam muito preocupados em busca de sua sobrevivência, mais saibam que nós animais precisamos muito pouco, em muitas casos apenas de um prato de comida e um pouco de carinho, e atenção.

Às vezes andamos pelas ruas e somos maltratados, agredidos, xingados, humilhados. Parecemos invisíveis, pequenos seres, esquecidos, mas que amamos muito as pessoas que estão a nossa volta, mesmo aquelas que dizem que não gostam de animais.

Queremos ter um lar, um prato de leite, um pouco de água, um lugar para dormir. Na verdade, mesmo que não se acredite neste fato, nós somos seus irmãos, que estamos em evolução, e que também temos como criador, Deus, o pai do mestre Jesus, que também disse que os animais merecem respeito.

Desta forma, pedimos, na verdade rogamos, um pouco de respeito e de consideração. Por favor, nos ajude a continuar vivendo neste mundo tão competitivo, onde as pessoas se esquecem que independentemente de sua condição econômica ou social, assim como nós, todos um dia teremos que partir, levando apenas o nosso corpo físico e nada mais.

Saiba que a nossa esperança são vocês, seres humanos, feitos a imagem e semelhança do Criador. Nós animais também fomos criados pelo Mestre, Senhor dos Mundos, e somos seus companheiros nesta caminhada chamada vida.

Desejamos a vocês, seres humanos, um Natal cheio de amor e paz, e muito amor e carinho pelos animais, em especial aqueles que foram domesticados e que não vivem sem as pessoas.

AUTOR - Paulo Tadeu Rodrigues Rosa

Momento de introspecção, reflexão, planejamento e ação


Para os que têm como seu calendário o gregoriano, o fim de mais um ano se aproxima...

Com ele, encerra-se mais um ciclo. Inicia-se outro.

É hora de parar de andar em círculos. De ficar dando 360º repetidamente e, com tais movimentações, bloquear a evolução.

Você precisa mudar de nível, subir um degrau, galgar novos patamares, sair de onde está. Todavia, para isso, é necessário que olhe de forma imparcial e isenta, profunda e verdadeira, para teus dias passados e para o teu interior.

Não ache que mudará o mundo, mudará pessoas, mudará relacionamentos, mudará tua vida, sem antes não encontrar o que deve mudar em você. Nossa constituição física e cultural nos conduz a ver o externo. A enxergar somente o mundo exterior. O que é aparente aos nossos olhos.

Assim, quando temos quaisquer variações (de saúde, emocionais, físicas) necessitamos recorrer a alguém, seja um especialista ou um amigo, para obter o seu parecer, receber seu feedback. Isso se dá, pois, embora tenhamos sido dotados de tal capacidade, não a habilitamos para nos enxergar, para nos ver por dentro. Uma boa oportunidade de tornar essa função "ativa" em você é agora. Aproveite os sentimentos e as esperanças que permeiam essas datas festivas e olhe para dentro de si. Você não pode continuar errando nas mesmas coisas. Não pode permanecer onde está. Agora, olhe para o teu passado e veja onde poderia ter feito diferente e torne a conclusão dessa reflexão, o teu mantra. Paralelamente, recorra à tua memória, e relembre o que você fez, ou os sentimentos que emanou quando obteve tuas vitórias, quando se deram os teus acertos... Ache a sintonia necessária para que todo o universo conspire a teu favor.

Não te enxergue pequeno, pois tu és grande: foi assim que DEUS te fez. Não te enxergue comum, pois tu és único: foi assim que o CRIADOR te constituiu. Não te veja como não merecedor, pois tu és herdeiro de tudo abaixo do céu. Não limite os teus passos, pois se necessário for, ELE te dará asas de águia para que alcances o que parece inalcançável. Não tema a ninguém, pois tu és o legítimo representante do TODO-PODEROSO aqui na terra. Não arqueie os teus ombros, não abaixe a tua cabeça, pois você foi feito à imagem e semelhança do ALTÍSSIMO.

Que os teus dias, doravante, sejam de sucessiva evolução e que tua senda seja iluminada por ti e por AQUELE que te abençoa dia após dia. Que respire um ar diferente: puro e leve, enchendo teus pulmões e dando-te a energia necessária para ir além. Que teus sonhos sejam materializados ou caminhem progressivamente para isso. Que a paz abunde em teu ser e em teu lar. Que o amor reine em ti e em todos os que te rodeiam. Que a vida seja maravilhosamente intensa e te faça feliz.

Que o ALTÍSSIMO seja contigo e ainda mais em ti, hoje e em todos os teus dias!

Isaac Yedidyah 



F.I.M. - Fraternidade de Iluminadores do Mundo



Site: www.iluminadoresdomundo.com.br

sábado, 18 de dezembro de 2010

Parceria SEPDA e UFRJ

Para aqueles que ainda não sabem, amanhã, dia 19 de dezembro de 2010, às 7.00h, acontecerá a implosão da Ala Sul do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho        (HU - Hospital do Fundão). 


Na foto, a ala a ser implodida é a da direita, já separada da ala que permanecerá.



Em uma parceria entre a SEPDA (Secretaria Especial de Promoção e Defesa dos Animais), UFRJ e Protetores que atuam naquela área, foi feita uma operação de resgate dos animais que estavam em situação de risco naquele local.

Agradecemos a todos os envolvidos na retirada de nossos amiguinhos animais que agora estão em segurança:

Ao Secretário Luiz Gonzaga e sua equipe (Dr. Leonardo, Dr. George França, Gabriela, Fabio, Veterinária Márcia e demais funcionários da SEPDA), que receberam os gatinhos do telhado, que serão esterilizados e encaminhados para adoção. 

Prof Helio, Prefeito da UFRJ, (sempre atento e atuante nas necessidades dos animais) e equipe ( Sidney e demais). Obrigada pela vistoria detalhada no telhado, onde havia informação da existência de ninhos de urubus e gaviões.








Especiais agradecimentos aos servidores e prestadores de serviços do Hospital do Fundão, Paulo Sérgio, Diretor de Serviços Gerais e membros de sua equipe, o Superintendente Álvaro, amigo de longa data e todos que nos aturaram nesses dias abrindo e fechando salas e andares e nos dando acesso aos locais onde necessitávamos resgatar animais.

Ao nosso amigo e parceiro Tony (www.resgatedeanimais.com.br) e Dra Jackeline Ribeiro, nossa Super Veterinária que foram incansáveis nesses dias de "pega-gato".








Alguns dos resgatados:





Leão Ariel se recupera com veterinária particular e fisioterapia em Maringá (PR)



Após passar por uma cirurgia de descompressão de um coágulo na medula, no Hospital Veterinário da Universidade de Guarulhos (SP), Ariel, o leão, está fazendo sessões diárias de fisioterapia com uma veterinária particular. O intuito é conseguir fazê-lo mover novamente as patas traseiras.
Foto: João Paulo Santos


“A cirurgia foi muito difícil para ele. O Ariel quase morreu com a anestesia. Por isso estamos fazendo um trabalho intenso de pós-operatório. O tratamento inclui ultrassom, raio laser, fisioterapia em piscina e vários equipamentos avançados na área de medicina veterinária”.

Ariel não conseguia mexer as patas traseiras devido a uma espécie de coágulo na medula. O felino, de mais de 200 quilos, ficou famoso em todo o Brasil ao aparecer já doente em um programa de TV.

A fisioterapia diária deve continuar por mais um mês. “Depois Ariel deve fazer um tratamento de hidroterapia em São Paulo. Acreditamos que em até 60 dias ele consiga andar novamente”, conta.

Todas as despesas com o tratamento de Ariel estão sendo pagas pelo programa da Eliana, no SBT. O caso do animal será alvo de uma reportagem especial no quadro Diário de Viagem, que irá ao ar no dia 19 de dezembro.

Presente de Natal
O felino deve ganhar um presente muito especial no Natal. Um chileno, que faz cadeiras de rodas personalizadas e assistiu ao programa televisivo, se comoveu com o caso de Ariel. “Ele vai fazer uma cadeira de rodas adaptada. O presente deve chegar até o dia 25 de dezembro”, conta Borges.

Com informações de O Diário

Nota da Redação
: Lugar de leão é na savana, nas terras do continente africano. Sentimos muito pelo Ariel e tantos outros terem sido retirados de seu habitat.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Um Cãozinho chamado Leônidas e uma Guerreira chamada Helena



Email recebido da Helena





Olá, amigos!!!
Com muita alegria envio esse email a um grupo de pessoas especiais que foram todas muito importantes para salvar a vida de nosso amigo Leônidas. Já se passaram seis meses da cirurgia, e ele foi tirar novos raios X, e está muito bem!

Preparei um vídeo com as fotos e filmagens dele, inclusive andando!!!! É totalmente dedicado a voces todos incluidos neste email, que foram anjos na vida desse pequeno, muito obrigado!




sábado, 11 de dezembro de 2010

Foguetório de final de ano - Tranquilizando nossos animais

Tranquilizando os Animais nas festas de
final de ano - foguetório

Por Fátima Borges e Martha Follain


Amigos,

Todos os anos, Fátima Borges e eu, Martha Follain, repassamos esse texto com dicas e florais e óleos essenciais, para acalmar nossos animais, por conta do infernal foguetório. Geralmente, começamos o envio no mês de novembro, para que todos possam mandar fazer os florais, etc.

Esse ano, com o compromisso que tenho, em sempre melhorar o tratamento, estou indicando alguns óleos diferentes. Quem quiser usar a recomendação dos anos anteriores, tudo bem!

Fátima e Martha


NATAL E PASSAGEM DE ANO DE 2010  

FLORAIS DE BACH, AROMATERAPIA E 
DICAS VALIOSAS!



cid:image002.jpg@01CB7AC3.A5342320



Christina Aparecida – arquivo pessoal de Martha Follain

Não há pior época para os animais que as festas de fim de ano, isso porque o pânico que sentem com o barulho ensurdecedor dos fogos de artifícios, é negligenciado pela grande maioria dos humanos, que esquece que a audição dos animais, principalmente dos cães, é muito maior que a nossa!

Muitos animais fogem apavorados e acabam perdidos e/ou atropelados, outros na ânsia de se livrarem do intenso barulho terminam enforcados em suas próprias correntes, alguns animais têm convulsões, há ainda os que pulam das janelas de apartamentos, tamanho o pavor que sentem dos fogos. Não é difícil que um animal mude completamente seu comportamento após passar pela tortura de não ter como se livrar do intenso foguetório humano.

O pior de tudo é que nessas épocas, dificilmente se encontrará veterinários disponíveis para um atendimento emergencial, daí, o mais acertado é prevenir. Todos os anos, a Terapeuta Martha Follain, indica uma fórmula Floral para que todo o relato acima seja evitado, assim, pedi a mesma, autorização para repassar às pessoas mais sensíveis a fantástica fórmula, pois sem contra-indicação, nenhum mal poderá causar ao seu bichinho e ainda promoverá, certamente, a tranqüilidade de todos e a certeza de que seu animalzinho ficará muito mais sereno!



Florais de Bach:

ATENÇÃO: Quando for mandar manipular a fórmula Floral, lembre de avisar que a mesma NÃO poderá conter CONSERVANTES, portanto, O ÁLCOOL, A GLICERINA E O VINAGRE DE MAÇÃ estarão FORA! Nesta fórmula, somente poderá entrar ÁGUA MINERAL, e, embora, nas farmácias de manipulação costumem dizer que esta fórmula só dura dois dias, NA GELADEIRA, ela durará QUINZE DIAS, com certeza! Mande fazer, em qualquer farmácia de manipulação (aquela que avia receitas): 

Fórmula recomendada: RESCUE + CHERRY PLUM + ROCK ROSE + MIMULUS + VERVAIN + SWEET CHESTNUT.

DOSAGEM: Para aves pequenas: 2 gotas da fórmula, 4 vezes ao dia, pode ser colocada no bebedouro;

Para aves médias: 4 gotas da fórmula, 4 vezes ao dia, pode ser colocada no bebedouro;

Para cães de pequeno e médio porte e gatos: 4 gotas da fórmula, 4 vezes ao dia, diretamente na boquinha;

Para cães de grande porte e gigantes: 6 gotas, 4 vezes ao dia, diretamente na boquinha de seu amigão;

Para cavalos ou animais de grande porte: 30 gotas, 4 vezes ao dia, no bebedouro.


Para se ter absoluto sucesso no tratamento, é interessante que se tenha continuidade no mesmo, lembrando de ministrar as gotinhas regularmente. Aconselha-se a começar o tratamento, pelo menos, 5 dias antes do Natal e estendê-lo até o dia 3 de janeiro, já que algumas pessoas insistem em prolongar a barulheira!


Natalie


Natalie da Silva Sauro – arquivo pessoal de Fátima Borges

Aromaterapia:

6 gotas de óleo essencial de laranja doce + 6 gotas de óleo essencial de capim limão (lemongrass) + 200 ml (1 copo americano bem cheio) de álcool de cereais ou álcool comum ( ou água destilada) num borrifador e, borrife os cômodos da casa (cuidado com o chão e móveis) três vezes ao dia, no dia da festa.

Além disso, pingue 1 gota do óleo essencial de laranja no alto da cabecinha do animal, antes do foguetório. O animal não deverá ser exposto ao sol.

Ou, você pode usar o prático aromatizador individual, que é feito de cerâmica e fio de algodão encerado – pingue 1 gota do óleo essencial de laranja em uma pequena bolinha de algodão, coloque dentro do aromatizador e pendure no pescocinho do animal, antes das festas. Você encontra esse aromatizador na Vitaearomas – www.vitaearomas.com.br

No caso de aves, passar um pano no fundo da gaiola com 1 gota do óleo essencial de laranja com ½ copo americano de água destilada.

Para cavalos (para não dispararem) - pingue cinco gotinhas de óleo essencial de laranja + 5 gotas de óleo essencial de capim limão + 1 copo americano (200 ml) de água destilada. na baia, etc.


IMPORTANTE: Procure uma boa loja de produtos naturais, ou farmácia de manipulação ou farmácia homeopática - compre óleos essenciais naturais. Os sintéticos, além de não provocarem o efeito desejado, ainda podem causar alergias respiratórias.



Para comprar por internet, óleos puros, naturais, com preços justos e que eu, Martha Follain, confio:

www.vitaearomas.com.br São Paulo - SP

(11) 23078628 Com Eder Duarte



Bento de Assis – arquivo pessoal de Martha Follain


OUTRAS DICAS PARA AJUDAR NOSSOS AMIGOS:

Procure manter seus gatinhos num quarto fechado, confortável, com água, comidinha e, se possível com música suave, onde ninguém tenha acesso. Deixe, pelo menos, uma porta de armário aberta para que eles possam entrar caso entrem em pânico, os gatos são muito sensíveis!

Quanto aos cãezinhos também deverão ser mantidos num cômodo confortável, livres de correntes, com música suave, sem que pessoas estranhas tenham acesso ao cômodo. NÃO deixe muitos cães juntos, pois o pânico que os rojões geram pode ocasionar brigas com consequências irreparáveis.

Saiba que é muito importante proteger seu animalzinho, seja qual for! Não faça com o outro o que não quer pra si próprio! Se você não puder colocar os animais dentro de casa, coloque música suave nos canis e, de preferência, lembre dos FLORAIS E ÓLEOS ESSENCIAIS da Martha, principalmente, se não puder atender a campanha anual da Ong. FALA BICHO, quando determina nas festas de fim de ano, "BICHARADA, PASSA PRA DENTRO".



Fátima Borges - Professora de Português, Teatro Infantil, Poetisa, Artista Plástica, renomada articulista/colunista de vários jornais e sites, entre ele o Florais e Cia.

Martha Follain - Terapeuta Holística: Florais de Bach, Aromaterapia, Fitoterapia, Cromoterapia, Cristaloterapia, para animais humanos e animais não humanos - CRT 21524 e CRTH 0243


www.floraisecia.com.br


USE AS RECEITAS ACIMA PARA SEUS ANIMAIS E REPASSEM A INDICAÇÃO !