Follow by Email

sábado, 20 de agosto de 2011

Cão desaparecido é encontrado após um mês








A história de Scooby, um cão sem raça definida de 10 anos de idade, é uma das poucas envolvendo animais perdidos que teve um final feliz. Ele fugiu de casa em meio a uma invasão seguida de furto e quase morreu. Foi atropelado na rodovia Marechal Rondon, pouco à frente da base da Polícia Militar Rodoviária de Bauru, e ali permaneceu estirado por cerca de dez horas, até que o veterinário João Zambonatto Netto passou pelo local e resolveu resgatar Scooby. Agora, está de volta ao seu lar.

Tudo começou no dia 15 de julho, contou Fátima Schroeder, dona do cão. “Scooby era castrado desde pequeno e não tinha o hábito de afastar-se ou seguir pessoas e outros animais. Foi furtado da casa por meliantes que na sequência invadiram minha residência”, disse em um e-mail.

Desesperada, Fátima anunciou o desaparecimento de Scooby em sites e panfletos. Até que o destino do cão se cruzou com o do veterinário João Zambonatto Neto, que tem uma clínica em Agudos. 

“Era por volta das 9h da manhã do dia 5 de agosto quando eu passava pela rodovia Marechal Rondon sentido Centro-Agudos. Logo depois da base da Polícia Militar Rodoviária eu avistei o Scooby. Parecia que estava morto, estirado no asfalto, mas quando passei, vi que ele moveu uma das patas. Resolvi parar e socorrê-lo.”

Pegou Scooby, muito fraco, e o levou. “Perguntei para o pessoal que trabalha nas proximidades e me disseram que ele foi atropelado às 22h do dia anterior”. O cão apresentava diversas escoriações pelo corpo. Foi dormindo, tranquilo, até Agudos onde ganhou carinho também do sócio de João. Recebeu medicação, comida e curativo nos seus ferimentos. Em 20 dias Scooby estava totalmente recuperado. Faltava encontrar um dono. 

“Nós temos espaço aqui na clínica. Mas atendemos muitos cães doentes e como ele estava recuperado, preferi colocá-lo para adoção. Então entrei em contato com a Mariska, que veio e fotografou o cão”, relatou João.

Cruzando caminhos
Scooby, que recebeu o nome de Conhaque, pela cor da pelagem e dos olhos, foi fotografado por Mariska Ferrão, dentista atuante na recolha de cães abandonados na cidade de Agudos. 

“Nós temos uma coluna de adoção no jornal e iríamos colocar a foto dele lá. Foi quando eu entrei no site Mania de Cão para ver os cães disponíveis para adoção. E, de repente, apareceu a foto de Conhaque, com o nome de Scooby”, disse Mariska. Todas as características eram compatíveis. Imediatamente, Mariska ligou para Fátima. “Quando ele viu a Fátima foi uma festa. Foi muito especial.” 

“São profissionais como o João que honram a classe dos médicos veterinários, que não medem esforços para salvar vidas! Parabéns e obrigada!”, agradeceu Fátima.