Follow by Email

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Teresópolis – E agora? 45 dias de trabalho




Já são 45 longos dias de trabalho no resgate e cuidados com os  Animais da Tragédia de Teresópolis.

Estamos atuando no Galpão do Meudom desde o dia 15 de janeiro.




A situação no Galpão está muito difícil. Mesmo pagando só conseguiram contratar quatro pessoas para fazer a limpeza dos animais: duas para o turno da manhã e duas para o turno da tarde.

Com o passar do tempo, como já era esperado, os voluntários vão se afastando, as pessoas retomam suas vidas, mas os animais continuam lá.



Os resgates também escassearam, não por falta de resgatistas, mas por falta de local para receber mais animais.

Os cães e gatos que foram arrastados e que não pereceram estão voltando em busca de suas casas e de seus donos. E não encontram nem um nem outro. Vagueiam pelos locais destruídos, sujos e famintos, feridos e muitos com bicheiras pelo corpo.

E não podemos socorrê-los!

O que fazer?

Os voluntários deixam ração e medicamentos, orientam as pessoas como cuidar, mas eles precisam de resgate!

Onde colocar?

O galpão usado para os casos mais graves e para o                   pós-operatório terá que ser devolvido no dia 28, daqui a uma semana. Onde colocar mais 50 animais, se no Meudom não cabe mais nem um?

Ninguém na Região Serrana resgatou tantos animais. Foram mais de 750, sem levar em conta gatos, aves, filhotes de cão e sem contabilizar dezenas de animais que os Protetores que subiram para ajudar recolheram diretamente em suas casas e abrigos.

Hoje restam em torno de 250 cães no Galpão do Meudom e em torno de 50 cães no Galpão das Pimenteiras.

Esses animais precisam ser limpos, alimentados e cuidados diariamente. Os passeios já não acontecem pois ou limpamos ou passeamos. Não há tempo para as duas tarefas.

A quantidade de animais doentes aumentou com os últimos resgates, São apenas três veterinárias e uma estagiária, que atuam de forma voluntária. Uma no Galpão das Pimenteiras e duas no Galpão do Meudom, em dias alternados. É muito pouco.

Mais uma vez apelamos a você: 

nos ajude a ajudar esses animais!!





Contatos: Bebete – tel: (21) 8790-7772