Follow by Email

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Ano de eleições...ô gurizada: os animais de rua não votam, mas a gente sim!

Lá e cá.......tudo igual. Vale a reflexão

------------------------------------------------------------------------------

Ano de eleições...ô gurizada: os animais de rua não votam, mas a gente sim!

Estava aqui pensando com meus botões...

Tem médico do SUS pra quem fica doente e não pode consultar com médico particular. Tem remédio de graça nas farmácias do SUS (ou, ao menos, deveria ter!).

Tem advogado de graça pra defender quem se mete em encrenca e não tem como pagar pelos serviços jurídicos: pra isso existe a Defensoria Pública.

Tem meia-passagem de ônibus pra estudante que vive sem grana e passe-livre pra idosos que penam com a aposentadoria- desaforo que recebem.

Tem bolsa-família, tem vale-gás, tem material escolar subsidiado pra quem comprovar que é pobre, no sentido legal do termo.

Pro trabalhador que recebe o mínimo e que tem filhos em idade escolar - e apesar de ser uma precariedade (quase uma afronta) - ainda existe o velho 'salário-família' .

Se o camarada for condenado por algum crime, cair preso e tiver família, existe o auxílio-reclusã o, pra garantir o sustento da família enquanto ele permanecer recluso.

Tem escola de ensino fundamental e ensino médio municipal e estadual. Tem universidade estadual e federal. Arrumar vaga é meio difícil mas, querendo, tem sim como estudar de graça.

E esses são só alguns exemplos de coisas que existem, de graça ou quase, para os seres humanos que não tem condições de arcar com essas despesas.

Claro que alguém paga por todas essas coisas (somos todos nós, ao pagarmos os nossos impostos em dia).

E que bom que essas coisas gratuitas existem, é assim mesmo que deve ser, mas...

E para os animais que vivem nas ruas e que são judiados, atropelados, que procriam sem controle, que vagam sem rumo, com fome, com sede, tem o quê?

Tem abandono.

Tem maus tratos.

Tem frio.

Tem fome.

Tem sede.

Tem dor... tem muita dor.

A menos que algum ser humano tope pagar do próprio bolso um tratamento veterinário - na maior parte das vezes caríssimo - para os animais que vivem pelas ruas não existe nada além de dor, desespero, fome e abandono.

A Prefeitura de Porto Alegre/RS me envergonha com suas promessas não cumpridas, com suas mentiras, com seu jogo-de-empurra político e cretino, ao fazer de conta que não vê a problemática dos animais de rua... Cada vez maior e saindo do controle até mesmo dos protetores e ONGS de defesa animal (os únicos que, trabalhando voluntariamente, tentam salvar as vidas desses seres indefesos e dar-lhes um pouco de dignidade, ao menos fazendo-os deixar de sentir dor...).

Ano de eleição gurizada... Os bichos não votam, mas a gente sim!

Promete que vai pensar nisso?

Adota um bicho de rua, salva uma vida!
Para adotar, visita meu site: www.angel.adoteja. com.br