Follow by Email

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Rinotraqueíte

Rinotraqueíte


Rinotraqueíte Viral Felina é causada por um herpevíruse e é altamente contagiosa, sendo responsável por 40 - 45% das infecções respiratórias felinas. Os primeiros sinais da doença são espirros, febre, rinite e salivação. Uma descarga nasal e ocular inicialmente serosa que rapidamente transforma-se em mucopurulenta é típica da doença. Após temos anorexia, depressão e pêlos ásperos. A taxa de mortalidade entre os filhotes afetados pela doença pode chegar a 50 - 60%. 



Já a “Gripe dos Gatos” é também causada por diferentes vírus e bactérias responsáveis por um conjunto de sintomas definidos na medicina veterinária como Complexo Respiratório dos Felinos. Os agentes infecciosos freqüentemente envolvidos são os vírus da Rinotraqueíte Felina e da Calicivirose Felina, assim como uma bactéria chamadaChlamydia psittaci. E, embora, cada um desses agentes provoque alterações próprias no organismo do gato, os sintomas comuns são semelhantes aos da gripe canina: corrimentos nasal e ocular, dificuldade para respirar, espirros, tosse, perda de apetite e febre. Também pode evoluir para uma pneumonia e nos animais com sua resistência comprometida, levar à morte. 


Cuidados de manejo devem ser tomados nesta época do ano, quando o clima seco e frio do inverno favorece o aparecimento e a disseminação das doenças respiratórias. Deve-se, por exemplo, evitar a exposição do seu gato em locais de aglomeração de animais, tais como parques, canis, feiras de animais, praças, abrigos e lojas de animais. Sempre que possível, fazer a vacinação anti-rábica em consultório particular (onde o atendimento é individual e o custo da vacina não é alto). Deve-se, também, manter o animal protegido do frio, das correntes de vento e da umidade. Diminua a freqüência dos banhos e evite fazê-lo nos dias frios. É aconselhável providenciar roupas próprias para aquecê-los nos dias mais frios.
Entretanto, a maneira mais eficaz de proteger os gatos da gripe é a vacinação anual. Os gatos devem ser protegidos contra o complexo respiratório felino através da vacina quíntupla felina que, além dos três agentes citados, protege também contra a Panleucopenia Felina e contra a Leucemia Felina. Essa vacina deve ser aplicada aos dois meses de idade, reforçada aos três e aos quatro meses, e depois, anualmente.

Se o seu gato ainda não está protegido contra a gripe, vacine-o(s) o mais rapidamente possível. Por outro lado, se ele já apresenta alguns dos sintomas descritos, leve-o imediatamente ao veterinário.
Esse vírus tem preferência pelas mucosas nasais, traquéia e conjuntiva ocular, caracterizando os sintomas respiratórios e oculares. A infecção ocorre por contato de gatos não vacinados com gatos doentes ou secreções no ambiente. A vacinação é eficaz na prevenção da doença. 


O Herpesvirus não é eliminado do organismo do animal após o contato. Assim sendo, o gato não vacinado será um portador definitivo do vírus. Isto quer dizer que se o gato portador passar por um período de estresse ou queda de resistência, o Herpesvirus poderá voltar a se manifestar, causando os sintomas respiratórios característicos: secreção ocular (conjuntivite), secreção nasal, espirros, tosse. Pode ocorrer pneumonia com a persistência dos sintomas.


A gata pode transmitir a doença aos filhotes em caso de grande estresse na época do desmame. Isso pode ser impedido vacinando a gata anualmente com a vacina quádrupla ou preferencialmente, a quíntupla felina, certificando-se que a vacina não irá vencer durante o período de gestação ou aleitamento dos filhotes (a gata que está bem vacinada transmite anticorpos aos filhotes através do leite). Outra coisa muito importante é fornecer alimentação de alta qualidade para a gata no final da gestação e todo o período de aleitamento dos gatinhos, com a finalidade de proporcionar à ela e aos filhotes o aporte de nutrientes necessário, sem que haja debilitação da saúde da gata e dos filhotes. A gata emagrece muito durante o aleitamento, praticamente tudo o que ela ingere é transformado em leite para os filhotes, portanto se ela ficar debilitada, o vírus pode voltar a atacar.
Quando o inverno chegar não deixe a gripe pegar seus gatinhos! 

Fotos: Gatinhos resgatados no Jardim do Méier
( http://www.facebook.com/groups/156064231130929/ )

Fonte: Dr. Amilcar Silva Jr. CRMV - SP nº 5.036